Rodrigo promete Vitória 'valente e competitivo' no fim da Série B

e.c. vitória
30.12.2020, 17:03:00
Atualizado: 30.12.2020, 17:03:30
Efetivado, Rodrigo Chagas tem como objetivo reconquistar a confiança no Vitória (Foto: Letícia Martins/EC Vitória)

Rodrigo promete Vitória 'valente e competitivo' no fim da Série B

Faltando sete jogos para o término do torneio, Leão mira se distanciar da zona de rebaixamento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A estreia de Rodrigo Chagas como técnico oficial do Vitória está perto. Depois de comandar o time por quatro partidas como interino - com dois triunfos, um empate e uma derrota -, o treinador fará, neste domingo (3), seu primeiro jogo desde que foi efetivado. Será às 18h15, contra o Operário-PR, no Barradão.

Faltando sete duelos para o fim da Série B, a missão de Chagas é clara: se distanciar da zona de rebaixamento. Como interino, o treinador teve 58,3% de aproveitamento, e deixou o Leão na 14ª posição, com 33 pontos, cinco a mais do que o Figueirense, que abria o Z4. Agora, porém, reencontra a equipe na 16ª colocação, com 36 pontos, apenas um de distância do 17º colocado, o Náutico.

Após ver essa diferença diminuir, o técnico é categórico: quer uma vitória sobre o Operário para reverter essa situação.

"Primeiro: reconquistar a confiança. Tivemos uma semana muito boa de trabalho, em que a gente pôde colocar as ideias com os atletas, passar para eles que esse jogo é de suma importância. Para nós, é final de Copa do Mundo. Um jogo que vai fazer com que nós possamos reconquistar confiança. Precisamos de resultado positivo. Temos mais dois jogos em casa além desse. Temos que ter o resultado positivo e montar estratégia para os jogos fora para buscar vitória ou um ponto", falou.

Quando assumiu como interino, Rodrigo Chagas comemorou o apoio que recebeu dos jogadores. Agora efetivado, ele se viu mais uma vez abraçado pelos atletas - e fez questão de retribuir e elogiar o elenco.

"Vejo um grupo muito forte, unido mais do que nunca para que possamos sair desse momento incômodo. Um grupo que vem me apoiando muito. Volto a ratificar aquilo que, quando iniciei como interino, tive apoio dos atletas. E, mais uma vez, eu estou sendo tão abraçado como antes. A única coisa que estamos esperando é que eles possam entrar, honrar nosso clube, jogar pela nossa torcida, família e que conquistem tudo que nós queremos, os resultados positivos".

Depois de pegar o Operário no Barradão, o Vitória terá dois jogos fora, contra América-MG e Avaí. Em seguida, volta a Salvador, onde enfrenta a Chapecoense. Na sequência, visita Guarani, recebe o Botafogo-SP e fecha a Série B contra o Brasil de Pelotas no Rio Grande do Sul. Para essa reta final, o técnico promete uma equipe que vai lutar para ficar na segunda divisão.

"Pode esperar uma equipe valente, brigadora, competitiva. Que vai procurar jogar e não deixar a outra equipe jogar, fazendo com que a gente possa entrar com força máxima. Acreditando sempre na possibilidade de vitória. Acho que temos que trabalhar isso o tempo todo. Acredito que vai acontecer e nós vamos, se Deus quiser, a partir dessa primeira partida, ter um grande resultado para que a gente possa, nos outros jogos, jogar com mais tranquilidade, independente de ser em casa ou fora".

Antes de sua estreia após ser efetivado, Rodrigo teve mais de 10 dias livre para treinar a equipe. O último jogo aconteceu no dia 22 de dezembro, na derrota para o CSA. O técnico valorizou o tempo sem compromissos oficiais.

"Os atletas começam a entender minha filosofia de trabalho e isso faz com que a gente possa transferir nossa metodologia. Foi muito bom e importante ter essa semana de trabalho para que a gente possa corrigir em todos os aspectos e que possa errar o mínimo ou não ter erro na partida e que possa ter a vitória", comentou.

"Deu para trabalhar, principalmente, as ideias de jogo em relação às linhas de quatro, o comportamento com e sem a bola, os esquemas que vamos adotar. Foi muito bem absorvido pelos atletas. Agora é esperar que eles possam transferir dentro da partida e que tudo possa ocorrer bem", completou Chagas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas