Sabatina CORREIO: Major Denice diz que sua gestão irá 'cuidar de gente'

salvador
19.10.2020, 19:05:00
Atualizado: 22.10.2020, 18:41:48
Major Denice, candidata à prefeitura de Salvador pelo PT (Foto: Reprodução/YouTube Correio24horas)

Sabatina CORREIO: Major Denice diz que sua gestão irá 'cuidar de gente'

Candidata foi a primeira entrevistada da edição 2020 da Sabatina do CORREIO com perguntas de jornalistas, leitores, especialistas e entidades

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Primeira entrevistada da sabatina do CORREIO das Eleições Municipais 2020, a candidata Major Denice (PT) apresentou aos leitores do jornal, nesta segunda-feira (19), às 11h, as propostas de governo que pretende implementar em Salvador caso seja eleita. Calma e respeitando o tempo limite, Denice respondeu às perguntas de jornalistas, especialistas e da audiência. A candidata concentrou-se em afirmar que sua gestão vai “cuidar de gente” e trouxe projetos voltados para a educação, saúde e geração de empregos.

No primeiro bloco, Denice respondeu à pergunta de abertura: “Em sua opinião, qual é o problema mais urgente de Salvador e por que você se considera a melhor candidata para resolver?”

Nascida na periferia soteropolitana e criadora da Ronda Maria da Penha, da PM, a candidata disse que, por ter vivido todas as desigualdades que permeiam a cidade, o que julga mais imediato é “transformar Salvador em um lar”, o que só considera possível se a dignidade chegar diretamente nas casas das famílias.

Clique aqui e reveja todas as SABATINAS CORREIO 2020

Condutor da sabatina, o editor de Economia do CORREIO, Donaldson Gomes pontuou que essa é a primeira experiência eleitoral da militar e questionou de que maneira ela pretende se posicionar diante de eventuais tensões entre a prefeitura sob seu comando e o governo federal, já que faz oposição ferrenha ao presidente Jair Bolsonaro. Ele também quis saber como a candidata pensa em formar sua base de sustentação no legislativo municipal.

“Ainda que eu esteja concorrendo pela primeira vez, a política está em mim há muito tempo. Entendo que, para ser gestora dessa cidade, precisamos ter duas coisas: sensibilidade e liderança. O ódio que foi propagado durante esses últimos dois anos no país asseverou um caminho que não é o caminho que vai construir a Salvador do futuro. Para dialogar com essa Salvador do futuro, nós precisamos, sim, conversar com o governo federal, além, é claro, de fomentar a candidatura dos vereadores e vereadoras da nossa coligação do PT”, disse ela. 

A suspensão das aulas presenciais nas escolas foi uma opção adotada por autoridades em todo o mundo para conter a covid-19. Na Bahia, o ensino ensino público está sem atividade desde março e, quando perguntada sobre os planos para essa retomada, a prefeiturável justificou que o país espera por um momento pós-pandemia que ainda não se sabe quando chegará. 

“A gente precisa ter condições sanitárias para que as aulas voltem. Retirar as aulas foi uma medida de cuidado com as pessoas, nosso governador foi proativo nesta pandemia e foi fundamental para que a Bahia não ficasse colapsada. O que precisamos é pensar que ali são vidas que são nosso futuro”, afirmou.

O cenário atual impactou também diretamente a economia mundial, incluindo Salvador, marcada pelo grave problema da desigualdade social. A Major Denice disse que contribuirá para enfrentar essas dificuldades desburocratizando alvarás de obras, apostando na economia criativa e reduzindo IPTU e multas de trânsito. 

“Não adianta termos praças reformadas, novos transportes, se a gente não tiver qualidade de vida, as pessoas precisam se sentir pertencentes à cidade. O IPTU, do jeito que está, inviabiliza a manutenção de diversos negócios na cidade e nós vamos dialogar para fazer uma cobrança justa. Vamos parar um pouco com a multa [de trânsito], ela não pode ser um meio de arrecadação da prefeitura, ela deve ser de educação, prevenção”, disse.

Na última questão dos jornalistas do CORREIO, ela foi indagada se temia ser vista como traidora pelos colegas militares por ter se alinhado politicamente com o governo estadual, já que as tropas têm uma trajetória de conflitos com a gestão por questões relativas a salários, benefícios e condições de trabalho. 

“Não tenho medo, são relações diferentes. Os pontos que a corporação precisa tratar, a partir do seu lugar de servidor público, será feita pelo governo do estado. A prefeitura vai assegurar um tratamento digno para os servidores municipais, e não questões financeiras. Faremos uma escola do servidor público, que vai dialogar na perspectiva da capacitação técnica, mas também no tratamento biopsicossocial”, propôs. 

PERGUNTAS DE LEITORES, ESPECIALISTAS E ENTIDADES

Nos dois últimos blocos da sabatina, foram sorteadas perguntas de especialistas, entidades e associações civis. Também foram direcionadas à candidata perguntas de leitores que interagiram ao vivo através dos comentários nas redes sociais e uma indagação em vídeo de uma cidadã ouvida na Estação da Lapa. 

Entre as propostas apresentadas diante dos questionamentos, Major Denice garantiu que criará a Clínica Municipal de Psicologia e um plano de carreira para a Guarda Civil Municipal, que será treinada para cuidar mais de pessoas do que de prédios. Ela prometeu realizar procedimentos de regularização fundiária e transformar espaços do Centro Histórico em locais de moradia. 

A pergunta de especialista sorteada foi a do professor da Escola de Administração da Ufba e reitor da Unijorge, Dr. Guilherme Marback Neto: Diante dos resultados ainda tímidos que os estudantes de Salvador tem apresentado no desempenho escolar, principalmente em Matemática, que tipo de ações concretas serão tomadas para formação de professores? Além disso, diante do problema imposto pela pandemia da COVID-19, obrigando a virtualização das aulas, de que forma sua gestão enfrentaria o problema real da exclusão digital dos alunos da rede pública municipal?

Major Denice: “A gente está trazendo um projeto chamado Salvador Conectada, com banda larga em todas as escolas e também acessível à comunidade. Não basta apenas colocar banda larga, temos que capacitar as pessoas para atuar nesse formato digital e, para isso, vamos trazer centros de inovação e tecnologia que vão ajudar a despertar os saberes. A minha preocupação perpassa por entender que a rede municipal precisa ter ensino integral para que alunos estejam em sala de aula para construir estes saberes de forma mais ampla e aprender um segundo idioma”.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio) quis saber: Como o candidato pretende atrair novos negócios para a nossa capital? Quais políticas pretende implementar para reativar a atividade turística e fomentar o fluxo turístico na cidade, principalmente no contexto da pandemia?

Major Denice: “Estamos fazendo no nosso plano de governo uma diminuição dos entraves na área fiscal, renovando programas de incentivo para a atração de empresas. Salvador é um enorme museu a céu aberto e a gente quer profissionalizar essa cidade na perspectiva turística. Vamos criar o maior centro de formação profissional dessa cidade para que a gente possa dar às pessoas a expertise que precisam para atuar na recepção no turismo. Em paralelo, vamos criar uma nova orla na Baía de Todos os Santos, um novo polo de desenvolvimento turístico, a gente vai criar um parque linear sobre todo o VLT, com ciclovia, com várias oportunidades de entrosamento. Vamos transformar Salvador num polo da cultura negra, Salvador vai ser a Wakanda da América Latina”

Presidente da Fecomércio, Carlos Andrade comentou, ao fim da sabatina, que achou importante a candidata ter mencionado que priorizará o turismo de cultura negra, que ele considera pouco explorado. Para Andrade, o ponto principal da fala da prefeiturável foi os incentivos fiscais para o setor comercial. “Estamos saindo de uma pandemia e o próximo prefeito que chegar precisa estar muito antenado com a situação que as empresas vivem hoje. Se não houver um incentivo, um crédito, muitas delas vão fechar”, argumentou. 

O Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) também enviou pergunta: A cobertura de atenção básica em Salvador ainda é insuficiente e não atinge 60% da população, uma das menores dentre as capitais brasileiras. Salvador gasta 20% de sua arrecadação em saúde. Como aumentar esta cobertura? Pretende aumentar o percentual de gastos da prefeitura em saúde? 

Denice: “Salvador é a 7ª capital do nordeste em atenção básica, isso não pode continuar. Nós traremos o mínimo de 80% de cobertura da atenção básica. Também traremos mais quatro policlínicas, mais perto do subúrbio, do miolo de Salvador”

Ao fim da sabatina, a candidata agradeceu o convite e disse que foi importante ter participado porque pode expor o que pensa sobre os principais setores da cidade e dialogar com a população e com o setor econômico que enviou perguntas. "Essas iniciativas fortalecem a democracia e ajuda as eleições a serem ainda mais transparentes e ricas”, disse.

A sabatina é realizada pelo jornal CORREIO e tem apoio do E Estúdio e ITS Brasil.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas