Saiba onde tem dentista de graça ou com valor social em Salvador

salvador
25.10.2021, 05:00:00
Atualizado: 25.10.2021, 15:14:07
(Paula Fróes)

Saiba onde tem dentista de graça ou com valor social em Salvador

Instituições de educação e prefeitura oferecem serviços odontológicos na cidade

Se você já sentiu uma dor de dente e saiu do consultório odontológico com "dor de cabeça" ao se deparar com o orçamento para realização do tratamento, saiba que na capital baiana há opções de tratamento de graça ou baixo custo. Eles são oferecidos em unidades de saúde do município, por faculdades e também pela Associação Brasileira de Odontologia Secção Bahia (ABO-BA). Nessa segunda-feira (25), quando é comemorado o Dia do Dentista, o CORREIO fez um levantamento de todos os serviços gratuitos ou com custo social oferecidos na cidade.

No início de 2020, quando teve um dente quebrado, a cabeleireira Luene Castro Tavares, 33 anos, chegou a fazer um orçamento numa dessas clínicas considerada popular, ainda assim, achou o preço muito caro. Conversando com uma amiga que trabalha na Associação Brasileira de Odontologia Secção Bahia (ABO-BA), ela descobriu a ABO é uma das instituições que oferece tratamento dentário gratuito em Salvador.

Por causa do bruxismo, um problema de saúde caracterizado pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono, seus dentes ficaram fragilizados e, durante a pandemia, a situação só piorou. No total, ela perdeu três dentes. 

“Eu não estava mais sorrindo e a amiga me perguntou o que estava acontecendo. Expliquei meu problema e ela me apresentou o trabalho da ABO. Há sete meses faço o tratamento que tem recuperado minha autoestima e a vontade de sorrir novamente”, conta Luene Tavares. 

Para oferecer o serviço, a ABO mantém parceria com instituições e também com 16 cursos de especialização que fazem atendimento ao público com valores diferenciados. O paciente só faz o ressarcimento das despesas. A mão de obra dos alunos e dos professores não é cobrada. Uma das formas de demonstrar interesse em ser atendido na ABO-BA é mandar uma mensagem para o WhatsApp (71) 98138-8559, dá um “oi” e aparece o link de um formulário que deve ser preenchido: https://url.gratis/JJzwc. “Se a pessoa tiver problema em preencher, pode também ligar para a nossa instituição e se informar”, diz a presidente da ABO-BA, Maria Angélica Behrens Pinto.

Um dos projetos sociais parceiros da ABO-BA é o Solidários da CBX. Hoje eles vão levar dez pessoas do bairro Uruguai para realizarem tratamento dentário na instituição. Rosineia Lima Santos, 50 anos, é uma das que vai buscar atendimento. “Eu não posso comer uma carne mais dura, por exemplo, que fico com dor no dente. Já fui parar na emergência por causa disso. Tomo dipirona, alivia, mas ao dentista mesmo eu não vou por causa do preço. Essa é a esperança de resolver meu problema”, diz.

Outra forma segura de conseguir atendimento odontológico gratuito é nas faculdades. A Clínica-Escola de Odontologia do Centro Universitário Maurício de Nassau Salvador (Uninassau), localizado na Pituba, por exemplo, dispõe de serviços para moradores do bairro e de outras localidades. Especialidades como prótese, cirurgia, periodontia e odontopediatria são oferecidas à comunidade externa, o que também beneficia os estudantes, como explica a gerente da Clínica-Escola, Andressa Amaral.

"Além de atender as pessoas de forma gratuita, a Clínica-Escola também contribui com a formação dos discentes do curso de Odontologia, pois é uma forma deles colocarem em prática o aprendizado adquirido em sala de aula. É uma troca da Universidade com a comunidade", avalia.

As consultas são realizadas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 22h, e aos sábados, das 7h30 às 18h, na sede situada na rua dos Maçons, nº 364, bairro Pituba. Para garantir o atendimento, é necessário levar documento de identificação com foto e CPF. Mais informações pelo telefone (71) 3505 4558.

Já a Clínica-Escola de Odontologia do Centro Universitário UniFTC de Salvador é localizado na Avenida Paralela e realiza atendimentos de endodontia (tratamento de canal), periodontia (tratamento da gengiva), próteses dentárias, odontopediatria, ortodontia, dentística e pequenas cirurgias. Somente o serviço de prótese e aparelho ortodôntico que não é gratuito. O agendamento pode ser feito pelo número (71) 3281-8065. O atendimento é de segunda à sexta, de 8h às 12h e de 13h30 às 18h30.

O dentista Marcos Santana é professor da UniFTC e realiza atendimentos na Clínica-Escola. “É um serviço bem conceituado que praticamente não gera custos para os pacientes. A ideia é ser algo social mesmo. O curso é dividido por especialidade. Cada semestre o aluno aprende algo diferente. O paciente faz uma triagem e é encaminhado para a especialidade específica. A maioria dos atendidos são pessoas são de baixa renda e que não tem pressa no atendimento, pois as vezes um tratamento pode durar um semestre todo”, explica.

A Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública também oferece serviço odontológico numa clínica particular, com agendamento pelo telefone (71) 3234-393, e gratuitamente no Ambulatório Docente Assistencial da Bahiana (ADAB). Aqui o agendamento é pelo número (71) 3237-8200.

Já na Unime o atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 11h e 13h às 17h, e nos sábados, das 8h às 11h. É necessário agendar presencialmente na clínica escola. (Endereço: Av. Luiz Tarquínio Pontes, 600 - Fazenda Pitangueira, Lauro de Freitas). Há uma taxa de tarifa social para os atendimentos realizados. Dentre os serviços atendidos estão restaurações, extrações dentárias, próteses, tratamento de canal, cirurgias e raspagem de cálculo. O Centro Universitário UniRuy não respondeu até o fechamento do texto.

Município mantém 200 unidades com serviço bucal
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que na sua rede há mais de 200 unidades de saúde com serviço bucal. O serviço público odontológico em Salvador, ofertado pela prefeitura, é composto por dez Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e uma Unidade de Atendimento Odontológico (UAO), que realizam serviços de urgência. “Há também as diversas Unidades de Saúde da Família (USF) e Básica de Saúde (UBS) que podem receber pacientes com alguma urgência no seu horário de funcionamento. Mas quando o problema é de madrugada, por exemplo, o jeito é procurar as UPAs ou a UAO, no dique, que funcionam 24h.

Essa UAO é exclusiva para serviço dentário e recebe uma média de 150 atendimentos por dia. “É um número elevado. As pessoas devem também procurar as UPAs quando tiverem algum problema de urgência para não concentrar a demanda numa única unidade”, diz Wagner Barros, dentista da coordenação da saúde bucal de Salvador.

Já nas UBS e USF são realizados atendimentos mais simples, por agendamento prévio. Caso a pessoa precise de um procedimento mais complexo, que não seja de urgência, ela será encaminhada para o Centro de Especialidade Odontológica (CEO). São seis espalhados em toda Salvador. Para dar conta da demanda, Wagner diz que a cidade tem mais de 400 equipes de saúde bucal, compostas por um dentista e auxiliar ou técnico em saúde bucal.

“Hoje nosso atendimento está diminuído em relação a antes da pandemia. Nossas unidades básicas atendiam, em média, 15 pacientes por dia. Isso caiu 60%. Em detrimento disso, aumentamos a quantidade de procedimento por paciente. Isso faz com que o cidadão seja liberado mais rapidamente e surjam mais vagas para outras pessoas que estão na lista de espera”, explica.

“Na odontologia, até o barato sai caro”, lembra presidente do Croba
“Na odontologia, até o barato sai caro, pois o equipamento, o material e a técnica utilizada são custos que dificultam o valor ser mais em conta”. Esse é o alerta feito por Marcel Arriaga, presidente do Conselho Regional de Odontologia da Bahia (Croba), sobre clínicas que oferecem um serviço de baixo custo. “Tem que ser visto com certo cuidado para saber que tipo de tratamento é oferecido, se o material usado tem qualidade, quais são os cuidados no local, dentre outras questões”, afirma.

Esse não é o caso dos trabalhos exercidos na ABO-BA e nas universidades. “Normalmente, são trabalhos que têm um fim acadêmico. Por isso, é possível ter a gratuidade. Mas, no geral, a odontologia é um serviço caro, infelizmente”, diz. Outro alerta feito pelo presidente do Croba é a necessidade de mais espaçamento entre os atendimentos por causa da pandemia.

“Isso fez com que os atendimentos gratuitos ou com valores sociais diminuíssem bastante em todos os setores. Ao mesmo tempo, com a crise econômica, sei que as pessoas estão com dificuldade de arcar com um tratamento dentário. Mas é importante que elas busquem atendimento desde cedo e com uma certa regularidade, pelo menos a cada dois anos, além de realizar a higienização bucal com escovação e fio dental”, diz.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas