Salvador sedia 24º Congresso Brasileiro de Mastologia

salvador
20.04.2022, 21:51:00
(Divulgação)

Salvador sedia 24º Congresso Brasileiro de Mastologia

Evento vai apresentar principais avanços nos tratamentos ligados ao câncer de mama

O Centro de Convenções de Salvador sediou, nesta quarta-feira (20), o primeiro dia do 24° Congresso Brasileiro de Mastologia. O evento acontece até o dia 23 e tem o objetivo de apresentar os principais avanços nos tratamentos ligados ao câncer de mama. O congresso, que recebe nove convidados internacionais e 92 brasileiros, é o primeiro desde o início da pandemia, em 2020, e vai reunir os principais especialistas da área. 
 
O câncer de mama afeta cerca de 2 milhões de mulheres em todo o mundo e, no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são mais de 66 mil novos casos diagnosticados a cada ano. Presidente do congresso, o renomado mastologista baiano, Augusto Tufi Hassan, explica que o 24° congresso está focado no diagnóstico precoce do câncer de mama e nas novas drogas para tratamento da enfermidade.
 
“Essa ainda é a grande arma que nós temos. Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, melhor para o paciente. Serão condutas menos agressivas, cirurgias menos agressivas e muitas vezes a gente dispensa essas pacientes até de quimioterapia”, ressaltou o especialista.
 
Mas para fazer esse diagnóstico precoce, Hassan afirma que a Bahia precisa ter um arsenal de imagem para auxiliar no processo. “Aí entra a ultrassonografia, mamografia e ressonância magnética, que vão cada vez mais fazer com que a gente identifique essas lesões mínimas da mama para conseguirmos alcançar a cura ainda mais rápido e de uma forma muito menos agressiva”, explica. 
 
O presidente do congresso também ressaltou a importância do novo medicamento para o tratamento do câncer de mama metastático HER2 positivo, que já foi aprovado pela Anvisa e que melhora a qualidade de vida de pacientes em tratamento. O estudo que anuncia a chegada do medicamento, Trastuzumabe-Deruxtecan, foi publicado no The News England Journal of Medicine.

Coordenador do Serviço de Mastologia e Pesquisa Clínica do Hospital Conceição, no Rio Grande do Sul, o mastologista José Luiz Pedrini, que também é diretor da Sociedade Brasileira de Mastologia, explica que o HER2 positivo é um tipo mais agressivo do câncer de mama e que incide em 20% das mulheres. “Esse medicamento traz uma nova esperança para aquelas mulheres que têm a doença, as que têm o retorno da doença após o tratamento inicial e para aquelas que já realizaram inúmeros tratamentos sem sucesso”, afirma Pedrini.
 
De acordo com Carlos Ruiz, responsável pelo departamento de Ações Sociais e Defesa da Mulher da Sociedade Brasileira de Mastologia, a expectativa para o congresso é de muita troca de informações para entender o atual cenário e vislumbrar os possíveis caminhos que precisam ser trilhados. “Mesmo durante esses anos difíceis, conseguimos alguns avanços que podem servir de exemplo para melhorarmos os índices de atendimento, sobretudo, potencializando o ecossistema do câncer de mama no país e, consequentemente, a sobrevida das pacientes”, afirma o médico. 
 
Para Rosemar Macedo, secretária geral da SBM, a discussão deve ser prática, estudando como ampliar medidas que já são experimentadas em algumas regiões. Dentre elas, ela cita o Guia de Boas Práticas em Navegação que acaba de ser lançado para pacientes que enfrentam a doença. 
 
Guia de boas práticas
A Associação dos Portadores de Câncer de Mama (APCAM) fez parceria com algumas entidades, dentre elas a Sociedade Brasileira de Mastologia, BBCS, Instituto Oncoguia, Femama, Instituto Avon e Roche, para lançar o Guia de Boas Práticas em navegação para auxiliar e detalhar os passos que as pacientes diagnosticadas com câncer de mama devem seguir em todas as suas etapas, promovendo assim, uma jornada menos difícil dentro do ecossistema do sistema de saúde, em muitos lugares bastante complexo.
 
A navegação é um processo que tem o objetivo de compreender e elevar a experiência do paciente, onde o navegador guia a paciente fornecendo todo o suporte para que ela própria tenha acesso aos serviços necessários dentro do sistema de saúde. O objetivo é organizar e otimizar todo esse processo, de forma a atender todas as necessidades e prioridades dos pacientes. Cada modelo de navegação é orientado por um navegador que funciona como um elo entre a família do paciente e a equipe médica, no intuito de transparecer as informações sobre a doença e a trajetória de tratamento.

Confira a programação completa do congresso no site Mastologia 2022

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas