Salvador tem taxa de mortalidade infantil menor que a média estadual

salvador
20.07.2018, 04:30:00
Atualizado: 20.07.2018, 17:21:26

Salvador tem taxa de mortalidade infantil menor que a média estadual

Na capital baiana, 15,5 crianças morreram em 2016 antes de completar um ano, para cada mil nascidas vivas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com taxa de mortalidade média de 15,5 óbitos infantis para cada mil nascidos vivos, Salvador tem índices menores que o do estado da Bahia, mas maiores do que o nacional. A capital baiana, ocupa, assim, a posição 208º entre todos os 417 municípios da Bahia em taxa de mortalidade infantil.

No entanto, a subcoordenadora da saúde materna e infantil da Secretaria Municipal da Saúde, Mirelle França, destaca que já há uma redução observada no número de mortes em 2017.

No ano passado, a taxa em Salvador foi de 14,7 óbitos de bebês com menos de 1  ano para cada mil nascidos vivos. Em 2015, antes da situação do zika vírus, a taxa era de 14,9. Para Mirelle França, a crise econômica e o desemprego contribuem para que parte da população não tenha acesso aos serviços de saúde.

“A questão econômica está diretamente ligada à saúde. Se as pessoas não têm acesso à alimentação e à qualidade de vida, isso implica na saúde”, pondera Mirelle.

Ela destacou que, no município, foram adotadas estratégias como o incentivo ao aleitamento materno e atenção integral às doenças da infância. Além disso, as equipes fazem busca ativa de casos suspeitos de microcefalia para diagnóstico precoce e tratamento imediato, com encaminhamento para centros de reabilitação.

“A gente trabalha com prevenção, fazendo a parte da orientação, qualificando as unidades e as equipes para que atenda as famílias, não só pensando na criança, mas no contexto familiar”, afirma. O acompanhamento é oferecido em todas as 127 unidades básicas  da rede municipal de saúde.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas