Sem Mugni, Bahia tem disputa por vaga no meio-campo; veja opções

e.c. bahia
21.10.2021, 15:59:00
Atualizado: 21.10.2021, 16:00:39
Rodriguinho é um dos cotados para herdar a vaga de Mugni; volante Jonas corre por fora (Foto: Felipe Oliveira)

Sem Mugni, Bahia tem disputa por vaga no meio-campo; veja opções

Tricolor se prepara para o confronto com a Chapecoense

Na primeira semana inteira de treinos desde que chegou ao Bahia, Guto Ferreira tem uma dor de cabeça para resolver antes do confronto com a Chapecoense, neste domingo (24), às 20h30, na Fonte Nova. 

Contra o lanterna do Brasileirão, o treinador vai ser obrigado a mudar o time tricolor, já que não terá à disposição o meia Lucas Mugni. O argentino recebeu o terceiro cartão amarelo no empate sem gols com o América-MG e está fora de combate. 

Com o problema na mesa, resta saber agora qual vai ser a atitude que o técnico vai tomar para montar o quebra-cabeça tricolor. Desde que chegou ao Bahia, Mugni assumiu a condição de titular na vaga deixada por Thaciano - negociado ao futebol turco - e não estará disponível pela primeira vez no Esquadrão. 

Além disso, o meia tem sido peça importante no esquema tático de Guto Ferreira, ajudando na recomposição do meio-campo e aparecendo como elemento de ataque na área adversária. Lucas Mugni é um dos líderes de desarmes do Brasileirão, com 44 em 12 jogos, de acordo com o FootStats. 

Para manter a estrutura do tripé com Patrick e Daniel, Gordiola possui algumas opções no elenco. No atual grupo tricolor, os atletas que possuem características mais próximas das de Mugni são Raniele e Luizão. No  entanto, a dupla ainda não conseguiu deslanchar no time tricolor, somando poucos minutos e sempre entrando no segundo tempo dos jogos. 

 Já se optar por Lucas Araújo, Edson ou Jonas, o Esquadrão ganharia um reforço na marcação e teria que avançar Daniel para ser o jogador da construção das jogadas e chegada na área, modificando um pouco do estilo de jogo implantado por Guto. 

Em um outro cenário, quem pode herdar a vaga no meio-campo é Rodriguinho. O camisa 10  se destacou no primeiro semestre atuando pelo lado esquerdo do ataque, mas perdeu espaço no time titular por não conseguir manter a intensidade durante os jogos. Mesmo assim, ele foi elogiado por Guto e pode ser uma das surpresas diante da Chape. 

“É o cara que tem facilidade de visão de jogo que pode, em um lance, decidir. Teve pelo menos duas bolas [...] o torcedor já bateu muita palma para o Rodriguinho. Sabendo-se usar, vai ser importante, tem sido importante dentro do processo. Sem dizer o aspecto de liderança altamente positivo. O profissional sério e trabalhador que ele é”, afirmou Guto.

Vale lembrar que o leque de opções do treinador ficou menor nos últimos dias já que, por opção técnica, o Bahia decidiu afastar os volantes Matheus Galdezani e Pablo, e os atacantes Oscar Ruiz e Thonny Anderson.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas