Serial killer brasileiro matou três mulheres no EUA, conclui polícia da Flórida

mundo
01.09.2021, 08:27:21
Kimberly Dietz-Livesey, Sia Demas e Jessica Good: as 3 vítimas do serial killer brasileiro (Foto: Gabinete do Xerife do Condado de Broward )

Serial killer brasileiro matou três mulheres no EUA, conclui polícia da Flórida

Crimes foram cometidos no início dos anos 2000

Roberto Wagner Fernandes foi apontado pela polícia estadunidense como o serial killer responsável pelo assassinato de três mulheres no estado da Flórida. Os crimes ocorreram há cerca de 20 anos, mas o laudo só saiu agora.

Roberto morou em Miami nos anos 90 e início dos anos 2000. Ele, posteriormente, morreu em um acidente aéreo no Paraguai. Seus restos mortais foram exumados há alguns meses, o que permitiu que autoridades americanas conseguissem vincular de forma conclusiva o seu DNA aos três assassinatos.

A participação do brasileiro em outros assassinatos nos Estados Unidos é estudada pelo Gabinete do Xerife do Condado de Broward, no sudeste da Flórida. "Acredito que haja outros casos por aí e isso faz parte de nossa investigação em andamento", afirmou o detetive Zachary Scott.

A polícia americana diz que Fernandes foi acusado pelo assassinato de sua esposa em 1996 no Brasil, mas foi absolvido e se mudou para Miami, onde trabalhou como comissário de bordo e motorista de ônibus de turismo.

Foto: Gabinete do Xerife do Condado de Broward 

Vítimas
O brasileiro começou sua rotina de crimes em junho de 200, em Cooper City. Lá ele matou Kimberly Dietz-Livesey, de 35 anos, e abandonou seu corpo dentro de uma mala.

Dois meses depois, o corpo de Sia Demas, de 21 anos, foi encontrado dentro de uma mochila à beira de uma estrada em Dania Beach.

O laudo policial apontou que ambas foram espancadas até a morte.

Uma terceira vítima, Jessica Good, de 24 anos, foi esfaqueada. Seu corpo foi encontrado flutuando na Baía de Biscayne, em Miami, em agosto de 2001.

Após se tornar suspeito do assassinato de Good, Fernandes fugiu para o Brasil, que não tem tratado de extradição com os EUA.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas