STJD multa e suspende Paulo Carneiro; atletas também são punidos

e.c. vitória
11.09.2020, 20:48:00
Atualizado: 11.09.2020, 22:06:52
Presidente do Vitória, Paulo Carneiro foi suspenso e multado pelo STJD (Foto: Reprodução/TV Bahia)

STJD multa e suspende Paulo Carneiro; atletas também são punidos

Léo Ceará e Vico pegam gancho e serão desfalques na partida do Vitória contra o Juventude

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente do Vitória, Paulo Carneiro, foi julgado, nesta sexta-feira (11), pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), após ser denunciado por invadir o campo e ameaçar o meia Vinícius, do Ceará, em partida da Copa do Brasil, no Barradão. A 5ª Comissão Disciplinar puniu o dirigente com pena de 135 dias de suspensão e multa de R$ 21 mil. Léo Ceará e Vico também tiveram seus casos analisados e sofreram suspensão.

Com o gancho, Paulo Carneiro ficará impedido de frequentar os jogos do Vitória, assim como representar o clube. Como ele foi suspenso preventivamente pelo STJD no dia 29 de agosto, os 14 dias foram abatidos, restando mais 121 dias. A decisão tem validade imediata, porém cabe recurso.

O caso aconteceu na partida entre o Vitória e o Ceará no dia 26 de agosto, no Barradão, pela terceira fase da Copa do Brasil. O presidente do Leão acompanhou a partida ao lado do gramado, o que não é permitido pelo protocolo da Confederação Brasileira de Futebol. No intervalo, ele invadiu o campo, para reclamar da arbitragem. E, na saída, ameaçou e ofendeu o meia Vinícius, que começava a dar entrevista.

Paulo Carneiro foi denunciado com base nos artigos 258- B (invadir local destinado à equipe de arbitragem ou o local da partida), 191-III (deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento do regulamento da competição), 243-F (ofender alguém em sua honra por fato relacionado diretamente ao desporto) e 243- C (ameaçar alguém por palavra, escrito, gestos ou por qualquer outro meio).

Julgamento do presidente do Vitória, Paulo Carneiro, e jogadores Vico e Léo Ceará
(Foto: Daniela Lameira/Site STJD)

"Não vou negar os fatos, que são evidentes. Mas é importante contextualizar para fazer os auditores refletirem e talvez amenizar. Estou no futebol há 32 anos e sou presidente do Vitória pela sexta vez. O Vitória passa por uma crise financeira sem precedentes e digo isso tudo para justificar em partes. Quero pedir desculpas, tenho um temperamento muito forte, que eu busco controlar", disse o dirigente, em depoimento ao STJD.

"Como um time está ganhando de 2 a 0, fazendo o resultado que o classificaria, e jogando muito melhor e de repente tem duas expulsões? Na segunda expulsão me descontrolei totalmente. Fui ao juiz e falei um pouco de bobagens pra ele sem agressão. Lamentei a má condução dele. Quando eu saí eu tive uma reação de torcedor. O árbitro foi o principal responsável por esse descompasso que aconteceu nesse primeiro tempo de jogo que valia muito para nós", seguiu.

Advogada do Leão, Patrícia Saleão tentou amenizar a punição, afirmando que "o presidente reconheceu seu erro" e alegando o caráter de réu primário de Paulo Carneiro. "Ele reconheceu seu erro, se sentiu envergonhado", falou. A maioria, porém, optou pela suspensão e multa.

As penas aplicadas ao presidente do Vitória foram: 258-B - 45 dias de suspensão; 191-III – multa de R$ 3 mil; 243-F - 30 dias de suspensão e multa de R$ 8 mil; e 243-C - 60 dias de suspensão e multa de R$ 10 mil, o que resultou no total de 135 dias e multa de R$ 21 mil.

Jogadores suspensos
No mesmo julgamento, Léo Ceará e Vico, que foram expulsos durante o jogo do Vitória x Ceará, também tiveram seus casos analisados. O centroavante foi punido com dois jogos de suspensão, enquanto o ponta foi suspenso por uma partida.

Léo Ceará recebeu cartão vermelho direto ainda no primeiro tempo, após desentendimento com o volante Charles, do Vovô. Ele foi denunciado com base nos artigos 254- A (praticar agressão física durante a partida), 258 (assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva), 258- B (invadir local destinado à equipe de arbitragem ou o local da partida) e 191-III (deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento do regulamento da competição).

"Acabei pisando sem querer no pé dele (Charles). Acho que ele pensou que foi por querer e acabou me empurrando. Não chegou a ser agressão nem da minha parte e nem da dele. Era um jogo muito importante e quando acabou o jogo tentei ir até ao árbitro para saber o motivo da expulsão. Achei que expulsar com vermelho direto foi muito rigoroso. Na hora que pisei na linha de campo meus companheiros me seguraram e voltei para o vestiário", disse Léo.

Já Vico foi expulso na partida após cometer um pênalti e reclamar com o árbitro pelo lance. Por desrespeitar a arbitragem, foi punido com suspensão de um jogo.

Apesar das punições, Léo Ceará e Vico vão participar do jogo do Vitória contra o Cruzeiro, às 21h30 desta sexta-feira (11), no Mineirão, já que a suspensão passa a valer a partir de sábado (12). Dessa forma, o centroavante desfalca a equipe nos duelos contra Juventude, marcado para segunda-feira (14), às 20h, em Caxias do Sul, e contra o Oeste, dia 26, às 16h30, no Barradão. Já Vico só fica de fora da partida contra os gaúchos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas