Suspeito do desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Pereira é preso no AM

brasil
08.06.2022, 09:49:36
(Reprodução/TV Globo )

Suspeito do desaparecimento de Dom Phillips e Bruno Pereira é preso no AM

O homem foi detido por posse de munição de uso restrito e permitido

Um homem suspeito de envolvimento no desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips foi preso pela Polícia Militar, no Amazonas. A informação inicial foi divulgada pela colunista Míriam Leitão em reportagem no Bom Dia Brasil desta quarta-feira (8). O homem é conhecido como Amarildo da Costa de Oliveira, 41, conhecido na região como “Pelado”.

Ele tem um histórico de ameaças a indígenas. O homem, de acordo com a reportagem, foi preso pelas sucessivas ameaças que faz a indígenas da região, inclusive no momento em que foi flagrado. Segundo a polícia, ele foi preso por posse de munição de uso restrito e permitido. Com ele, foram apreendidos chumbinhos.

"Ele estava fazendo uma ameaça à equipe dos indígenas que estava em busca. Isso foi considerado um flagrante. Agora vamos ver se o Ministério Público apresenta denúncia", disse a colunista. De acordo com o jornal O Globo, o suspeito detido teria sido o pescador que ameaçou o servidor da Funai Bruno Araújo Pereira.

À polícia, Amarildo negou qualquer relação com o sumiço dos dois homens, afirmou o delegado titular da 50ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), Alex Perez. "A única situação que ele acompanhou foi quando a embarcação que Bruno e Dom Philips estavam conduzindo passou em frente a sua comunidade. [Ele fez] contato visual apenas", afirma um investigador.

A PM fez buscas na residência de Amarildo em função de denúncias anônimas sobre uma suposta participação. "Chegando na residência dele, encontraram munição de uso restrito, além de chumbinhos e uma substância entorpecente", diz.

O delegado diz ainda que vão ouvir "mais duas ou três pessoas" ainda nesta quarta-feira (8). De acordo com Perez, a Polícia Civil do Amazonas instaurou um inquérito policial para investigar o caso.

Até a noite dessa terça-feira (7), cinco pessoas foram ouvidas pelas autoridades policiais, sendo quatro como testemunhas e uma na condição de suspeito.

O caso
Bruno e Dom Phillips foram localizados pela última vez no domingo (5). A dupla fazia o trajeto entre a comunidade ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte. Eles visitavam a equipe de Vigilância Indígena que se encontra próxima a localidade chamada Lago do Jaburu. Dom Phillips foi ao local para realizar entrevistas. 

Ao divulgar o desaparecimento, a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari ressaltou ainda que, na semana do desaparecimento, a equipe recebeu ameaças em campo. "A ameaça não foi a primeira, outras já vinham sendo feitas a demais membros da equipe técnica da UNIVAJA, além de outros relatos já oficializados para a Policia Federal, ao Ministério Público Federal em Tabatinga, ao Conselho nacional de Direitos Humanos e ao Indigenous Peoples Rights International", registrou a entidade em nota.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas