Sustentabilidade na Bahia com preservação ferroviária e ações sociais

estúdio correio
21.09.2021, 11:42:00
Atualizado: 21.09.2021, 11:48:22
Estação em Cachoeira passou por melhorias e aguarda cessão ao município (Foto: Divulgação/VLI)
Estúdio Correio -

Sustentabilidade na Bahia com preservação ferroviária e ações sociais

VLI, controladora da FCA, promove e apoia iniciativas em vários municípios do estado

Pensar o futuro com atenção para o passado. O cuidado com a memória ferroviária tem sido uma das frentes de atuação da VLI, controladora da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), na manutenção de imóveis que não integram a operação de trens de carga. Nos últimos anos, a companhia destinou mais de R$ 10 milhões para seis ativos. Dentre estes está a estação de Cachoeira, na Bahia, que recebeu um investimento de R$ 6 milhões em melhorias. A base do programa Estação de Memórias compreende uma reforma geral conciliada com a cessão para um novo uso social dos imóveis e o resgate da história das localidades.

Em Cachoeira, a estação já foi devolvida ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e está em andamento o processo de pleito do mesmo pela prefeitura. Em paralelo, a empresa promoveu um processo de cocriação com a comunidade local com foco em casos, lembranças e histórias de quem vivenciou o vai e vem dos trens. Esse conteúdo se transformou em um acervo de fotos e vídeos a ser exibido na estação para toda a comunidade. Todo o projeto é desenvolvido junto ao poder público, que também participa do alinhamento sobre como recuperar a funcionalidade da edificação para a sociedade. Além da iniciativa, a estação deverá abrigar unidade do Corpo de Bombeiros.

Outros ativos na Bahia também são exemplos de parcerias e da bem-sucedida busca por uma nova funcionalidade social. Em Senhor do Bonfim e Esplanada, os imóveis passaram por reformas e abrigam a Secretaria Municipal de Cultura das cidades. Já em Juazeiro, a estação tornou-se sede da Escola do Saber, que atende crianças e adolescentes. 

Em Juazeiro, imóvel abriga Escola do Saber (Foto: Divulgação/VLI)

No município de Caculé, o imóvel já está com o DNIT e há tratativas com o poder público local para que a estação passe por melhorias e receba projeto social. Em Serrinha, a Associação de Taekwondo Serrinhense Stilo Moo do Kuan utiliza uma área da estação e faz planos de ampliar a oferta de atividades à comunidade. O imóvel está na lista para reforma e um contrato de comodato está sendo elaborado.

“Estamos muito felizes com a possibilidade de a estação ganhar uma nova função na comunidade. Com essa parceria poderíamos abrir vagas para aulas de dança, ballet, reforço escolar, além de apoio jurídico e psicológico para a comunidade”, comenta Maria das Dores de Oliveira Silva, presidente da entidade.

Ajuda humanitária na Bahia

Quatro cidades baianas recebem cestas básicas a partir deste mês (Divulgação/Fundação Hansen Bahia)

Com o prolongamento da pandemia do coronavírus, outra frente adotada pela VLI, como responsável pela FCA, tem contribuído com comunidades no estado. Este ano, a empresa elaborou uma nova onda de ajuda humanitária. Quatro cidades baianas integram o grupo de localidades beneficiadas. Neste mês, entidades de Cachoeira, São Félix, Simões Filho e Alagoinhas recebem a primeira entrega de cestas básicas. Cada município contará com 612 cestas a serem distribuídas em três momentos (setembro, outubro e novembro). A Fundação Hansen Bahia é uma das contempladas e repassará as cestas para famílias de Cachoeira e São Félix.

“Não temos eventos na cidade há quase dois anos e isso traz um grande impacto na geração de renda de várias pessoas. Contar com a apoio da ferrovia é de grande valia. Muitas vezes essas cestas são sinônimo de alívio para pais e mães”, comenta Jomar Lima, gerente técnico da entidade.

A professora e Secretária Municipal de Cultura, Esporte e Turismo de Alagoinhas, Iraci Gama, reforça que o impacto da pandemia ainda é muito forte, especialmente, na classe artística. A Fundação Iraci Gama de Cultura também será contemplada pelas cestas básicas. A secretária vê esse apoio como essencial no momento e projeta o retorno gradual dos eventos na região. Um dos mais esperados é o Trem do Forró, promovido em parceria com a ferrovia.

“Já está no nosso calendário e temos a expectativa de retornar em 2022. É um momento importante para reforçarmos elementos culturais e históricos, além da arrecadação de itens que são trocados pelos ingressos”, destaca.

Trem do Forró: atração mobiliza comunidades de Alagoinhas, Iaçu e Senhor do Bonfim (Foto: divulgação/VLI)

O apoio da VLI em 2021 soma-se ao auxílio enviado no ano passado, quando a empresa destinou 2,5 mil cestas básicas e kits de higiene para comunidades, mais de 40 mil itens entre máscaras e luvas para profissionais de saúde. Além de insumos para a confecção de 10 mil máscaras de tecido por costureiras locais, uma forma da empresa fomentar trabalho e renda para famílias em situação de vulnerabilidade, já que as máscaras foram compradas pela ferrovia e distribuídas de forma gratuita para as comunidades.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas