Tá na rifa: baianos resgatam método 'das antigas' para sobreviver à crise

salvador
06.09.2021, 06:30:00
Atualizado: 05.10.2021, 14:33:37

Tá na rifa: baianos resgatam método 'das antigas' para sobreviver à crise

Como uma rifa pode te ajudar? Ouça o podcast e entenda porque os sorteios voltaram em alta

Já reparou na quantidade de rifas que estão aparecendo, todos os dias, no seu feed do Instagram? Ou então nos seus grupos de WhatsApp? Pois é: elas voltaram à moda, e não é por um bom motivo.

No 16º episódio do podcast O Que a Bahia Quer Saber, você entenderá porque as rifas voltaram em peso. Milhares de baianos estão em dificuldade financeira. Sem terem como contrair mais empréstimos, decidiram 'apelar' para esse método antigo.

Clique no player abaixo para ouvir o episódio do O Que a Bahia Quer Saber:

Para ouvir diretamente no Anchor, clique aqui.

Alguns baianos que perderam o emprego ou ficaram sem serviço durante a pandemia já não conseguem mais pagar as contas do dia a dia. Por isso, decidiram apelar para o tradicional método de sorteio, oferecendo todo tipo de prêmio a quem decide contribuir.

Entrevistamos os 'rifadores': a fotógrafa Esperança Gadelha (@esperancagadelhafotografia), o cheff de cozinha Fabrício Santana (@cheffabriciosantana), o futuro intercambista Diego Magarão (@diegomagarao) e o youtuber Leonardo Santiago (@cantorubronegro1899). Também ouvimos a economista e pesquisadora da UFBA Claudia Monteiro Fernandes e o planejador financeiro Raphael Carneiro (@petra.capital).

São pais e mães de família que não possuem mais renda. E oferecem como prêmio das rifas desde um valor em dinheiro – que chega a R$ 1 mil! - até o fruto do seu próprio trabalho. São refeições, bijuterias, produtos de decoração, entre outros.

Ouvimos especialistas que apontam: esse é um efeito da vulnerabilidade social e do desemprego em massa que afetam a Bahia. E se você quiser, também, fazer uma rifa? Ouvimos planejadores financeiros que te dão dicas de como não se prejudicar.

Toda semana, você tem no podcast O Que a Bahia Quer Saber uma matéria especial em formato de áudio. Um mergulho em algum tema de relevância para o estado. Você poderá acessar os episódios aqui mesmo no site do Correio* no seu aplicativo favorito de podcasts: no Spotify, no Deezer, no Anchor, no Google Podcasts ou no Apple Podcasts.


Você também pode ouvir nos aplicativos de sua preferência:


Spotify:

Para ouvir diretamente no Spotify, clique aqui.


Deezer:


Para ouvir diretamente no Deezer, clique aqui.


Apple Podcasts:

Para ouvir diretamente no Apple Podcasts, clique aqui.


Google Podcasts:


Para ouvir diretamente no Google Podcasts, clique aqui.


Outros aplicativos


Para ouvir no Pocket Casts, clique aqui.

Para ouvir no Breaker, clique aqui.

Para ouvir no Radio Public, clique aqui.


Mas... O que é "podcast"?

Podcast é um programa de áudio, igualzinho a um de rádio. A diferença é que você pode ouvir quando, como e onde quiser. Pode ser no celular, no computador ou na TV. Se quiser, você pode pausar, voltar, adiantar ou pular os trechos, se preferir.

Para ouvir, basta tocar no player acima. Ou, se preferir, basta clicar nos links para ouvi-lo no Spotify, no Deezer, no Apple Podcasts ou no Google Podcasts. Também é possível buscar os episódios diretamente nos aplicativos.

O Que a Bahia Quer Saber

O CORREIO produz podcasts desde 2017, quando iniciou o Bate-Pronto Podcast, sobre futebol baiano. Em 2020, lançamos o O Que a Bahia Quer Saber, podcast diário com notícias relevantes para o estado.

Em 2021, o O Que a Bahia Quer Saber volta com formato especial: a cada semana, o leitor (e ouvinte!) terá uma matéria especial, com o padrão do CORREIO de jornalismo, porém explorando toda a riqueza que o áudio pode trazer.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas