Taxa de ocupação de hotéis de Salvador volta a cair e chega a 23% em agosto

salvador
09.09.2020, 14:50:00
Atualizado: 09.09.2020, 21:13:02

Taxa de ocupação de hotéis de Salvador volta a cair e chega a 23% em agosto

Já Aeroporto de Salvador tem registrado aumento no número de passageiros

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Embora Salvador esteja em processo de retomada gradativa das suas atividades econômicas e o isolamento social percebido nas ruas não seja mais tão intenso como no começo da pandemia, os hotéis da capital baiana seguem sofrendo impactos com o novo coronavírus. No mês de agosto, as taxas de ocupação registradas apresentaram queda.

Segundo a Pesquisa Conjuntural de desempenho (Taxinfo), realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), seções Bahia e Brasil, a taxa de ocupação dos hotéis abertos em Salvador no mês passado foi de 23,71% e diária média de R$ 206,76, gerando um Revpar (indicador ponderado entre a ocupação e a diária média) de R$ 49,03. Os número apresentam queda se comparados a julho, quando houve preenchimento de 27,27% das instalações disponíveis e diária média ficou em R$ 212,21, indicando que o ritmo de abertura de hotéis foi superior ao ritmo de retomada da demanda por hospedagem.

A baixa não é apenas nos hotéis. O Aeroporto de Salvador registrou uma baixa movimentação de passageiros - apenas 8% em relação ao total de visitantes que visitaram a capital baiana no mesmo período nos anos anteriores. Segundo o levantamento, foram 33 mil pessoas em abril, 40 mil em maio e 56 mil em junho.

A expectativa é que os números sigam crescendo com a reabertura de novos vôos a partir deste mês de setembro, que terá um acréscimo de 35% na oferta de assentos em relação à agosto. Além disso, a retomada dos voos da TAP, também neste mês, da Jetsmart no final de outubro e da Air Europa no início de novembro, prometem aumentar a chegada de turistas internacionais na cidade.

"Diante das restrições de deslocamento, temos percebido uma procura maior por parte do mercado doméstico neste primeiro momento. Entretanto, com a retomada das atividades e de alguns vôos, a tendência é que a partir de setembro o mercado nacional seja ampliado e haja a recuperação do internacional. A taxa de ocupação de 23,71% é ainda insuficiente para pagar os custos, para a maioria dos hotéis. E se considerássemos o conjunto de hotéis da amostra (abertos e fechados) a taxa média de ocupação de agosto seria ainda menor, 10,77%", explica Luciano Lopes, presidente da ABIH Bahia.

Segundo levantamento da Vinci Airports, que administra o Aeroporto de Salvador, no 1º semestre de 2020 houve uma redução de 42,42% no movimento de passageiros no equipamento, se comparado ao 1º semestre de 2019. Comparando esse mesmo movimento no período de abril a junho de 2020, com relação ao mesmo período do ano anterior, a queda é ainda maior: 91,36%.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas