Taxista de 31 anos morre vítima de covid-19 em Salvador, diz associação

coronavírus
09.05.2020, 15:14:00
Atualizado: 09.05.2020, 16:40:39

Taxista de 31 anos morre vítima de covid-19 em Salvador, diz associação

Clebson, que atuava em supermercado na Vasco da Gama, chegou a pedir ao pai, também taxista, que parasse de trabalhar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O taxista Clebson Pereira da Silva, 31 anos, morreu na noite desta quinta-feira (8), em Salvador, vítima da covid-19. A informação é da Associação Geral dos Taxistas (AGT), segundo a qual Clebson trabalhava como auxiliar e atuava nas imediações do supermercado Walmart, na Avenida da Vasco da Gama.  

A entidade que representa a categoria também informou que o trabalhador foi atendido em duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Ele foi medicado e liberado para que retornasse para casa. Após o quadro se agravar, retornou à UPA de Brotas na última quinta-feira (7), vindo a óbito no dia seguinte.

Apesar da informação divulgada pela AGT, a causa da morte de Clebson ainda é investigada. Foram feitos exames para confirmar se, de fato, ele foi vítima do novo vírus. 

Clebson chegou a ser atendido em duas UPAs, mas foi mandado para casa (Foto: Reprodução)

Preocupação com pai
Ainda de acordo com a associação que representa os taxistas, Clebson pediu para o pai dele, o também taxista Bartolomeu Silva, parar de trabalhar para evitar se contaminar com o novo coronavírus. O idoso faz parte do grupo de risco e seguiu a recomendação do filho. Ele estava no interior da Bahia quando recebeu uma ligação avisando que Clebson tinha passado mal e precisou de atendimento médico.

Pai e filho conversaram por telefone, e Clebson tentou tranquilizar o idoso dizendo que estava tudo bem e que ele não se preocupasse. Ainda segundo a AGT, na Unidade de Pronto Atendimento foi constatado que o pulmão de Clebson estava inflamado e que seria necessário intubá-lo.

O paciente ficou aguardando entrar na Central de Regulação do Sistema Único de Saúde (SUS) para ser transferido para um hospital, mas não resistiu e o óbito foi confirmado por volta das 22h.

Outro caso
Emanuel Tadgue de Almeida, 64, foi outro taxista vítima da doença em Salvador. Ele estava internado com coronavírus no Instituto Couto Maia, unidade de referência em doenças infecciosas no estado, e veio a óbito no dia 6 de abril, e foi a 11ª morte por covid-19 confirmada na Bahia. 

O taxista tinha dado entrada na unidade no dia 24 de março e estava em estado grave. De acordo com o irmão do paciente, o taxista aposentado Carlos Antônio Tedgue de Almeida, 67, Emanuel tinha comorbidades, como problemas cardíacos e diabetes.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas