Tom Veiga descreve agressões que sofreu da ex-esposa: 'Tive que fugir de casa'

em alta
07.04.2021, 08:40:22
Atualizado: 07.04.2021, 08:45:57
(Foto: Reprodução)

Tom Veiga descreve agressões que sofreu da ex-esposa: 'Tive que fugir de casa'

Com fotos de hematomas, intérprete de Louro José diz que episódio provocou divórcio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No dia 4 de outubro do ano passado, Tom Veiga enviou para sua ex-mulher Alessandra Veiga uma série de fotos que mostram hematomas, arranhões e machucados que teriam sido provocados por Cybelle Hermínio da Costa, terceira esposa do ator, um mês antes.

Alessandra, que viveu 14 anos com o intérprete de Louro José, decidiu revelar as imagens para a reportagem do jornal Extra após notícias envolvendo o testamento do ator.

“No dia 4 de outubro, depois de a gente se falar por vários motivos e assuntos, o Tom me abordou meio diferente e falou que nunca tinha me falado o motivo da separação dele dessa moça. Aí, ele me mandou as fotos da agressão e a partir dali os áudios. Disse que tinha muita vergonha, que estava se sentindo um lixo, se sentindo mal, à base de calmantes, com muita vergonha. Ele me contou, está nos áudios, que foi agredido depois de uma briga boba”, revela Alessandra em entrevista ao jornal.

Em mensagens trocadas no WhatsApp, Tom detalhou a briga que teve com Cybelle na sua casa, no Rio de Janeiro. A briga, ocorrida no dia 7 de setembro, teria começado on almoço, motivada por uma ordem que ele deu ao filho de Cybelle, que insistia, segundo Tom, em almoçar dentro da piscina, e ele não deixou. Diante da negativa do marido, Cybelle fez a vontade do filho mesmo assim, relatou o ator.

Após o episódio, os dois passaram o dia meio emburrados um com o outro. Cybelle teria pedido para conversarem, mas Tom Veiga disse que queria um tempo para o “ranço passar”. Ele se lembrou de que a empregada, naquele dia ficou até mais tarde na casa, pois esperava por uma carona. 

“Nesse dia, ela ficou aqui até umas seis, sete horas da noite. Foi quando eu estava sentado na varanda, de frente para o notebook, respondendo email, resolvendo coisas, e abri uma garrafa de vinho”, relembrou ele no áudio mandado à ex-mulher.

Depois disso, Tom afirmou que ofereceu uma taça de vinho para Cybelle, que recusou e iniciou uma nova discussão. A esposa pegou a taça cheia em que ele estava bebendo e arremessou na parede. Dali em diante, Cybelle, disse Tom, o derrubou da cadeira e deu uma surra nele, batendo sua cabeça no chão por várias vezes, o xingando e querendo que ele tivesse uma reação. “Apanhei mesmo, tenho até vergonha de contar. Fui brutalmente agredido”, escreveu ele para Alessandra.

“Tom não tinha uma índole agressiva, ele nunca esperava por isso (suspira). Eu tive que ver tudo aquilo, ouvir tudo, tendo que ser parcial, porque eu não queria ficar dando minha opinião, não queria que ele se sentisse pior do que já estava. Ele disse que estava à base de calmantes e que com muita vergonha. Eu fiquei chocada. De conhecer o Tom, do jeito que eu conhecia, e saber que ele estava passando por uma dessas”, defende Alessandra em entrevista ao Extra.

Fugindo descalço e sem dinheiro
Após a agressão, Tom confessou que teve que fugir. “Saí da minha casa fugido, sem carteira, sem celular, descalço, sem um real no bolso. Pelo amor de Deus não conta isso para ninguém”, pediu o ator.

Um dia após a briga, Tom procurou seu advogado para dar início ao divórcio. Os dois haviam se casado no civil pouco menos de um mês antes, em 21 de agosto, quando trocaram o documento de união estável, que possuiam desde o dia 26 de junho de 2019, por uma certidão de casamento com separação total de bens. Ao ser questionado sobre o casamento no cartório, Tom respondeu a Alessandra: “É um contrato. Tudo a mesma m... A diferença é que fiz um com separação total de bens”.

Nessa conversa, Tom não comentou sobre testamento que inclui Cybelle na partilha de bens. Mas sugeriu à segunda ex-mulher que tinha sido vítima de um golpe. “Caí igual um patinho. Tudo premeditado. Foi golpe e eu caí igual um pato”. Alessandra, então, pergunta o que Cybelle ganharia com isso e o que o levava a pensar que tinha sido um golpe a relação de dois anos dos dois. “Eu não sei. Mas é f... Não consigo entender até hoje. É a pior coisa da minha vida. Por isso eu vivo de calmante. Mas não tem jeito. Eu acordo de madrugada com ela no meu pescoço. É uma psicopata. Acabou com a minha vida. Hoje vivo como se fosse um babaca, um merda”, descreveu Tom.

“Dois meses depois da nossa separação ele começou esse relacionamento. A gente até vinha tentando uma reconciliação, mas eu disse que ele tinha feito uma escolha e que era para assumir o que fez. Para ele, deve ter sido muito difícil confirmar que tinha feito a escolha errada... O que eu tenho para dizer hoje é que, pra mim, não importa qual a decisão da Justiça. A minha verdade é o que ele me falou, e eu acredito nele. Não gosto de falar sobre o que não posso provar. E tem áudio dele falando para provar. Decidi falar isso agora porque aconteceu isso tudo e eu pensei, ele pediu na época ‘não conta para ninguém’. Mas hoje vejo a necessidade de as pessoas saberem, sim. Então, agora eu sou a voz dele”, justifica Alessandra.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas