Torcida na Barra teve choro e música

salvador
06.07.2018, 21:21:06
Atualizado: 07.07.2018, 10:30:00
(Raquel Saraiva/CORREIO)

Torcida na Barra teve choro e música

Última show dessa copa animou o público, apesar da derrota da seleção

Não vai ter mais Copa para o Brasil, mas até que teve show. A Banda Eva conseguiu o que parecia impossível: animar a torcida depois da derrota por 2x1 contra a Bélgica, que tirou o Brasil do Mundial, nesta sexta (6).

Milhares de pessoas compareceram à Arena Brahma, no Farol da Barra, para assistir ao jogo no telão e, depois, curtir o show. Ao som de Não Me Conte Seus Problemas, tocada na abertura, o clima melhorou. “Tem que ficar alegre! Amanhã (sábado, 7), a gente trabalha… só resta encher a cara”, lamentou o estudante Adenilton dos Santos, de 25 anos. 

“Nosso empenho será sempre o melhor de todos. Em cima do palco não tem derrota, a gente só vai ganhar!”, disse o vocalista da Banda Eva, Felipe Pezzoni.

Depois do segundo gol da Bélgica, ainda no 1º tempo, a torcida trocou os gritos emocionados que começaram junto com o hino brasileiro antes da partida pela angústia. No Pelourinho, o clima foi parecido: a alegria dos tambores do Olodum foi se esvaindo conforme o relógio do jogo passava. 
O gol do Brasil, no 2º tempo, pareceu o mais festejado de toda a Copa. Trouxe de volta a esperança e o ânimo. “Ele perdendo ou não, eu sou brasileiro!”, disse, animado, o jovem Claudio, 13, no Farol. “Vai ter gol de Neymar e daquele do cabelo black”, diz o amigo Maicon, 10, se referindo a Marcelo. Os dois estavam catando latas nas proximidades do Farol - pararam depois do gol da Seleção para esperar o empate. Que não veio.

Os amigos Maicon e Claudio pararam no telão para esperar o empate que não veio (Foto: Raquel Saraiva/CORREIO)

Mas teve gente que não ficou a fim de show não. “A gente torce, a gente tem garra e ver perder dói. Dói muito”, disse, aos prantos, Cíntia Noam, 30. Ela desistiu de ver o show e foi para casa. “Não dá. Não tem clima”. Outros, se resignaram. “Pelo menos a vergonha foi menor que no 7x1. Hoje (sexta, 6), pelo menos eles jogaram. A gente quase empatou”, se conformou o professor Marcelo Silva, 31. 

Outros torcedores se revoltaram com a derrota - e não demorou para os culpados serem apontados. “A culpa é de Fernandinho. Entregou três gols naquele jogo da Alemanha (em 2014), tava em campo hoje de novo, deu nisso!”, decretou o estudante Vitor Santana, 21. “É a bandeira da Alemanha invertida. É maldição certa!” reclamou Jonas Vasconcelos, 31, supersticioso. Assim como a maioria dos torcedores ouvidos pelo CORREIO, ele escolheu torcer pela França a partir de agora. 

Gabriel, de apenas 5 anos, chamava a atenção pelo bico de choro. O pai, Joni Marcos, de 47, no entanto, soltou uma gargalhada quando o menino, com a camisa da Seleção, mas alheio ao jogo, entregou o motivo. “Eu só queria uma foto no farol”, lamentou o garoto, agarrado na grade que separava o público do Farol da Barra. É... às vezes, há coisas mais importantes que uma derrota. 

Gabriel só chorou porque não conseguiu tirar foto no Farol (Foto: Raquel Saraiva/CORREIO)

Com a derrota do Brasil, a programação da Arena Brahma nesta copa está encerrada em Salvador. Antes da Banda Eva, passaram pela Arena as bandas Jammil, Parangolé, Psirico e a cantora Claudia Leitte. O espaço trouxe para Salvador o mesmo clima da Fan Fest – ocorrida há quatro anos, durante a edição brasileira do Mundial. A Arena está mantida nas próximas fases da copa nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas