Trump diz que não há razão para ele ouvir as gravações da morte de jornalista

mundo
19.11.2018, 09:51:10
Atualizado: 19.11.2018, 09:56:52

Trump diz que não há razão para ele ouvir as gravações da morte de jornalista

Republicano afirmou que "sabe tudo o que está na gravação sem ter que escutá-la"

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que não há razão para ele ouvir as gravações da "muito violenta e muito perversa" morte do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

Em uma entrevista veiculada no domingo (18), pela Fox News, Trump deixou claro que a gravação, fornecida pelo governo turco, não afetaria sua reação ao assassinato do colunista do jornal The Washington Post, crítico do regime saudita, no dia 2 de outubro. "É uma fita de sofrimento, uma fita terrível. Fui informado sobre ela e não há razão para eu ouvi-la."

O republicano afirmou que "sabe tudo o que está na gravação sem ter que escutá-la". No sábado, ele disse que seu governo fornecerá um relatório muito completo, "provavelmente na segunda ou terça-feira", que incluirá quem matou o jornalista. Não ficou claro se o documento será tornado público.

Agências de inteligência dos EUA concluíram que o príncipe saudita, Mohamed bin Salman, ordenou o assassinato de Khashoggi no consulado da Arábia Saudita na Turquia, de acordo com um funcionário americano com conhecimento no assunto. Ele não tem autorização para falar sobre o caso publicamente e pediu anonimato.

Outras pessoas com conhecimento no caso alegam que é provável que o príncipe esteja envolvido na morte do jornalista, mas que ainda há questões sobre que papel ele teve no crime.

Durante a entrevista, Trump destacou que Bin Salman negou repetidamente seu envolvimento no assassinato de Khashoggi. "Alguém algum dia vai realmente saber?", questionou ele. "Ao mesmo tempo, temos um aliado e quero estar próximo a um aliado que tem sido muito bom de várias formas." Fonte: Associated Press

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas