União descumpre determinação judicial para que SUS pague tratamento de menina baiana

bahia
02.10.2021, 11:14:00
(Foto: Acervo pessoal)

União descumpre determinação judicial para que SUS pague tratamento de menina baiana

O prazo venceu na última sexta-feira (1); Yasmin precisa de tratamento disponível nos EUA

Mesmo depois que a Justiça Federal determinou o pagamento, através do Sistema Único de Saúde (SUS), do tratamento da baiana Yasmin Bastos Nunes, 11 anos, nos Estados Unidos, a União não cumpriu a liminar. O prazo para o pagamento de R$ 1.914.535,77 - valor restante do tratamento da menina - venceu na última sexta-feira (1), sem nenhuma resposta federal. 

A  União tinha 15 dias para cumprir a determinação. Graças a uma mobilização da família da menina, que é natural de Feira de Santana, uma vaquinha virtual conseguiu arrecadar R$ 2,4 milhões desde março. através do perfil @ajude.yasmin, no Instagram. Mas, sem a parte a ser paga pelo SUS, a família de Yasmin tem corrido contra o tempo. 

"Estamos nos sentindo desrespeitados, desmerecidos. Eu tenho o direito à vida da minha filha desmerecido nesse momento", disse o pai de Yasmin, Nelson Pereira Nunes. 

Segundo ele, novas medidas devem ser tomadas pela Defensoria Pública da União. "A gente ainda não sentoi com a DPU para ver os próximos passos, mas a causa não é perdida. Tem vários artifícios jurídicos que já estão sendo utilizados e a gente vai ver o que pode ser feito", completou. 

Desde o dia 25 de setembro, Yasmin está internada no Hospital Santo Antônio, em Salvador, com dificuldade respiratória devido a um derrame pleural.  "A família também está adoecendo, nosso  psicológico está abalado. A gente entende que Yasmin é uma guerreira jovem. Está na sétima linha de tratamento e, com fé em Deus, vai passar por essa oitava e mostrar que vale a pena lutar pela vida". O quadro dela hoje é estável. 

Em 2015, Yasmin foi diagnosticada com Leucemia Linfoblástica Aguda de precursor B (IFT). Foram seis anos de tratamentos até que o câncer voltou a se manifestar pela quarta vez. Os tratamentos convencionais, como quimioterapia, radioterapia e imunoterapia, não seriam suficientes para que a doença entrasse em remissão completa. Ela precisava, então, de um tratamento chamado Car-T Cell, que consegue "reprogramar e turbinar" as células em laboratório para, posteriormente, atacar os tumores. Essa terapia não existe no Brasil. 

As pessoas interessadas em colaborar podem acessar a Vakinha virtual no link bit.ly/ajudayasmin, por Pix, depósito ou transferência bancária para as contas abaixo.

- PIX
CPF:826374315-04)
Viviane P. Bastos Nunes

- Bradesco | conta-corrente
Ag:2273. C/C: 38128-4
Viviane P. Bastos Nunes

- Caixa Econômica | conta-corrente
Ag: 3802 C/C: 21812-6
Viviane P. Bastos Nunes

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas