Vale a pena comprar um carro e alugá-lo para motoristas de apps?

tira-dúvidas finanças
09.09.2019, 05:00:00
Atualizado: 10.09.2019, 13:33:52

Vale a pena comprar um carro e alugá-lo para motoristas de apps?


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Investir na compra de um carro para alugar para motoristas de aplicativo é uma boa ideia? Vale a pena, Edísio? Gabriel Oliveira

Olá Gabriel. É muito importante que estejamos sempre buscando formas de melhorar nossa renda, pois nos conduz ao melhor equilíbrio entre receitas e despesas elevando nossa autoestima e gerando um melhor bem-estar para nossa família. Dentre as diversas opções, fazer atividades como motorista de aplicativo é uma delas, contudo, ser o sócio investidor adquirindo um veículo para atuar com locação requer alguns cuidados para evitar problemas legais e financeiros. Para que possa ter um resultado positivo nessa operação, é preciso equilibrar bem o valor do veículo que irá comprar, com o aluguel cobrado, colocando na conta os gastos que terá com impostos, manutenção, financiamento (se for o caso) e seguro. Sem considerar o financiamento, um carro popular tem um custo médio mensal de aproximadamente R$ 600,00, portanto, a opção por aluguel deve ter um valor suficiente para cobrir esse gasto e gerar um ganho referente ao retorno do investimento e lucro da operação. Se conseguir um contrato dessa forma, vale a pena sim, mas não esqueça de considerar na conta os custos para regularizar essa operação, tanto do ponto de vista da legalização do veículo, quanto em relação à questão tributária. São gastos relevantes e que precisam ser considerados, uma vez que, corre o risco de ser pego pela fiscalização e acabar sofrendo penalidades legais por não cumprir a lei por ou sonegação fiscal.


Ainda vale a pena adquirir um imóvel? Renato Pereira 

Olá Renato. A decisão de adquirir um imóvel passa por uma série de avaliações e não é apenas decidir comprar ou não comprar. Não sei qual seu objetivo ao comprar um imóvel, se é com a intenção de morar ou de investir, mas lhe digo que no que se refere ao mercado imobiliário, está começando a aquecer, no Sul do País com mais intensidade, mas com os reflexos começando a serem sentidos aqui na Bahia. Para quem tem disponibilidade de comprar à vista, pode conseguir boas opções, porque apesar dos juros estarem caindo, isso está ocorrendo de forma muito lenta e no longo prazo a carga de juros pagos ainda é muito alta, além do nível de inadimplência que é muito elevado, dificultando a oferta de crédito. Esses fatores ajudam a aumentar a competitividade para quem tem possibilidades de comprar o imóvel sem precisar de financiamento. Vale acrescentar que se trata de um investimento de longo prazo e com reflexos por até 30 anos, portanto, analise bem todas as variáveis que permeiam o processo de aquisição de um imóvel. Verifique os custos da aquisição, como as taxas, impostos e despesas cartoriais, se o imóvel precisará de reforma, se está ocupado e precisará de ação judicial para retirar o atual morador, enfim, tudo que possa ter reflexo no seu orçamento, para evitar surpresas. Outro ponto importante, caso opte por financiamento, é analisar o orçamento para verificar como a parcela se encaixará nas despesas mensais da família. Essa ação é fundamental para que tenha segurança na hora de decidir, e evitar problemas sérios no futuro, principalmente o de comprometer o orçamento familiar.


Tem dúvidas de finanças pessoais? Envia um e-mail pra gente: carteiracorreio@redebahia.com.br

Edísio Freire escreve sobre economia popular toda segunda-feira

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas