Vendas na Bahia caem 8,4% de novembro para dezembro, diz IBGE

bahia
13.02.2019, 14:22:00
Atualizado: 13.02.2019, 14:22:51

Vendas na Bahia caem 8,4% de novembro para dezembro, diz IBGE

Estado fechou 2018 no negativo, com -0,1%

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira (13) um levantamento feito pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), sobre as vendas do varejo na Bahia, com recorte no último mês de dezembro e no ano de 2018.

Na Bahia, as vendas do varejo caíram 8,4% de novembro para dezembro. O ano de 2018 fechou com variação negativa de -0,1%. O levantamento desconsidera influências sazonais, como o Natal.

A queda é considerável, já que, no mês anterior, a Bahia havia tido alta de 12%.

A Bahia fecha o ano em queda desde 2015. O ponto mais baixo foi em 2016 (-12,1%) - a decrescente se manteve em 2017 (-0,3%) e 2018 (-0,1%).

O setor que mais impactou a baixa do varejo baiano foi o de vendas de combustíveis, com queda de -13,2% - é o quarto ano seguido de retração. Já os segmento de livros, jornais, revistas e papelaria foram os que apresentaram maior queda: -15,1%.

Uma das poucas áreas que fecharam o ano positivamente foi a de hiper e supermercados, que voltaram a positivar em 1%, após três anos em queda. O crescimento ajudou a segurar o recuo do comércio no estado.

Outro setor que apresentou oscilação foi o de veículos e material de construção que, entre novembro e dezembro, apresentou índice de -4,2%, mas fechou 2018 em alta de 1,5%, graças ao bom desempenho do segmento de veículos, com +6,7% no ano.

Brasil
No país como um todo, de novembro para dezembro, o varejo também teve queda (-2,2%). Quase todos os estados apresentaram resultados negativos, com exceção da Paraíba, que registrou variação positiva de 0,4% nas vendas.

Em comparação com todo o país, a Bahia é o terceiro estado com pior índice, acima apenas de Acre (-12,6%) e Amapá (-11,9%).

Frente ao mesmo mês de 2017, em dezembro do ano passado, as vendas no varejo baiano também caíram em -0,5%, mesmo após o registro dos crescimentos de outubro (0,1%) e novembro (5,1%). Nessa comparação, o estado também teve resultado do Brasil: +0,6%.

Dos 27 estados, 16 apresentaram melhor desempenho em dezembro de 2018 do que o mesmo mês, em 2017:. Os com melhor desempenho foram Roraima (9,2%), Santa Catarina (6,4%) e Espírito Santo (5,0%). Por outro lado, as vendas caíram mais em Minas Gerais (-6,7%), no Distrito Federal (-5,7%) e no Piauí (-5,5%).

No país como um todo, as vendas cresceram em 2018 (2,3%) pelo segundo ano consecutivo. Destaque positivo para Santa Catarina (8,1%), Espírito Santo (7,7%) e Acre (7,6%), e negativo para Distrito Federal (-3,6%), Amapá (-1,6%) e Pernambuco (-0,8%).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas