Vento forte arrasta sinalizador da Marinha de alto-mar para a areia do Rio Vermelho

salvador
04.07.2017, 10:08:00
Atualizado: 04.07.2017, 14:28:28

Vento forte arrasta sinalizador da Marinha de alto-mar para a areia do Rio Vermelho

Os pescadores do bairro se impressionaram com as forças dos ventos que foram capazes de arrastar objeto com seis toneladas e 12 metros de altura

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma boia sinalizadora da Marinha que fica em alto-mar foi arrastada pelo forte vento na manhã desta terça-feira (4) até a faixa de areia da orla do bairro do Rio Vermelho, em Salvador. O equipamento, de seis toneladas e 12 metros de altura, apareceu nas imediações da Praia da Mariquita e assustou até quem tem intimidade com o mar. Por volta de 1h da madrugada, houve uma rajada de 59 km/h, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo a Marinha, o sinal Cardinal Sul do Banco de Santo Antônio é uma boia luminosa, fixada a cerca de oito quilômetros da praia da Barra, que se desprendeu e derivou até o Rio Vermelho. A função do equipamento é sinalizar às embarcações a localização do Banco de Santo Antônio, local onde a profundidade do mar é reduzida, representando risco de encalhe para embarcações de maior calado (altura do casco abaixo da linha d'água). 

Os pescadores do bairro se impressionaram com a força do vento que foi capaz de arrastar o equipamento que sinaliza para os bancos de areia. "Se o vento foi capaz de arrastar esse sinalizador, imagina o estrago que ele pode fazer com meu barco?", disse o Luiz Cláudio, 38 anos.

"São dois sinalizadores aqui na região, um que fica aqui e um entre Ondina e Barra. Esse aparelho fica na 'cabeça dos bancos de areia' pra evitar que os barcos encalhem", explica o pescador Raimundo Alves, 59.

Por conta do incidente, na manhã de hoje foi emitido um aviso aos navegantes alertando sobre a ausência do sinal de sua posição. Em nota, a Marinha informou que o Serviço de Sinalização Náutica do Leste, organização militar subordinada ao Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN), enviou militares ao local para avaliar a situação, remover o sinal náutico da praia e recolocá-lo na ponta sul do Banco de Santo Antônio.

O mau tempo, típico desta época do ano, é responsável por diminuir 70% a renda do pescador Raimundo. "Nesse período não temos condições de ir pro mar. A solução é fazer um bico aqui e ali até que o tempo melhore". Em 45 anos de profissão, essa é a primeira vez que ele vê o sinalizar na costa da praia do Rio Vermelho.

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO )
Pescadores esperam tempo melhorar jogando (Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Com o mar grosso, a única opção é recolher as pequenas embarcações que beiram a costa em busca de pescados. O pescador José Alberto, 52, decidiu recuar seu barco e esperar o mau tempo ir embora jogando baralho. "Com esse tempo assim, a única opção é jogar um buraco e esperar o sol voltar", brincou.            

Ainda de acordo com a Marinha, na orla de Salvador, a Marinha mantém três boias luminosas (semelhantes a que derivou) e mais 20 boias luminosas de menor porte no interior da Baía de Todos os Santos. 

Destelhamento
Os fortes ventos também foram responsáveis por destelhar parcialmente um sobrado localizado na Rua Paulo Bispo, nos Barris. Segundo os moradores, o telhado de zinco foi arrancado por volta das 2h da madruga desta terça-feira (4). 

A força do vento lançou o telhado para o quintal da residência. Ninguém ficou ferido. "Eu estava dormindo e quase infartei com o barulho do telhado sendo arrancado. Na hora, todos os vizinhos correram para me ajudar", conta a aposentada Lidéria Ribeiro, 86 anos. Ela divide o sobrado com uma neta e o marido dela.

O telhado havia sido reforçado há cerca de dois meses com grampos para evitar que fosse arrancado. Logo após o incidente, os moradores acionaram a Defesa Civil (Codesal), mas, até a manhã desta terça, nenhum agente do órgão esteve no local vai averiguar a situação.

Até às 8h desta terça, a Codesal havia recebido cinco solicitações. Foram três ameaças de desabamento de imóvel, uma ameaça de queda de árvore e um destelhamento. Não houve registro de feridos. O órgão informou que permanece com o plantão de 24 horas atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199​.

Na Ilha de Itaparica, em Bom Despacho, a placa do Bompreço caiu em cima de um carro que estava no estacionamento do mercado. Em nota, a assessoria do estabelecimento informou que "felizmente ninguém ficou ferido no incidente, e informa que está apurando os danos".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas