Vitória de Lacalle Pou no Uruguai ainda depende de confirmação

mundo
25.11.2019, 06:12:45
Atualizado: 25.11.2019, 06:22:04
Luis Lacalle Pou e Daniel Martínez disputam a eleição no Uruguai (AFP)

Vitória de Lacalle Pou no Uruguai ainda depende de confirmação

Até a madrugada, Lacalle Pou acumulava 48,75% sobre Daniel Martínez

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com uma dramática apuração voto a voto, o candidato de oposição Luis Lacalle Pou parecia se encaminhar para a vitória nas eleições presidenciais do Uruguai, realizadas em segundo turno no domingo, 24, o que colocaria fim a 15 anos de hegemonia da coalização de esquerda Frente Ampla.

Com mais de 99,3% das urnas apuradas, no início da madrugada desta segunda-feira, 25, Lacalle Pou acumulava pouco mais de 30 mil votos, ou cerca de 1 ponto porcentual, sobre o candidato governista Daniel Martínez (48,75% a 47,47%).

Todas as pesquisas previam uma vitória muito mais folgada de Lacalle Pou. Por causa da pequena diferença, o domingo terminou sem que a Corte Eleitoral do Uruguai ou os candidatos arriscassem anunciar um vencedor.

À noite, Martínez fez um discurso para apoiadores, mas não assumiu a derrota. Disse apenas que nenhum dos dois candidatos havia obtido 50% dos votos, em uma situação que obrigaria a busca de um entendimento entre os rivais. O candidato governista afirmou ainda que seria necessário esperar o anúncio final da Corte Eleitoral, que a partir desta segunda inicia a contagem dos chamados votos observados - que precisam de uma verificação especial, já que têm origem em pessoas idosas, com deficiências físicas ou alguma outra restrição.

Pouco depois, Lacalle Pou, também em discurso para correligionários, pediu "paciência" e disse "ter convicção" que sairá vitorioso do pleito. Assim como o adversário, porém, evitou declarações peremptórias sobre o resultado.

No total, há 35 mil votos observados, um total superior à diferença registrada entre os candidatos até o início da madrugada.

As eleições correram sob tranquilidade em todo o país. Mais de 2,7 milhões estavam habilitados para votar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas