Vitória faz duelo decisivo com o Bragantino hoje, no Barradão

e.c. vitória
15.03.2018, 06:07:00
Atualizado: 15.03.2018, 11:57:29
André Lima é opção para o ataque rubro-negro (Maurícia da Matta/EC Vitória)

Vitória faz duelo decisivo com o Bragantino hoje, no Barradão

Jogo definirá o classificado para a quarta fase da Copa do Brasil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

É vencer ou vencer, não há outra opção. Para avançar na Copa do Brasil, o Vitória precisa derrotar o Bragantino, nesta quarta-feira (14), às 19h15, no Barradão. O tropeço de 1x0 no confronto de ida obriga o rubro-negro a reverter a desvantagem, feito já conquistado pela equipe baiana em seis das 27 edições que participou do torneio - o Vitória só não disputou a competição em 1992.

A história de superação rubro-negra na Copa do Brasil iniciou em 1995. Naquele ano, o Vitória perdeu na estreia do torneio para o Democrata, por 3x2, no estádio Mamudão, em Governador Valadares-MG, e venceu o jogo de volta por 2x0, no Barradão. Seguiu até a fase seguinte, quando foi eliminado pelo Atlético-MG.

Passaram-se quase dez anos até o Leão voltar a fazer o mesmo, e em dose dupla. Na edição de 2004, tropeçou na segunda fase no jogo de ida contra o Sampaio Corrêa: 1x0 no Castelão, em São Luís. No reencontro, para a felicidade da maioria dos torcedores presentes no Barradão, triunfo por 3x1 e classificação para as quartas de final contra o Corinthians garantida.

Contra a equipe paulista, o Vitória também saiu em desvantagem. Derrota por 1x0 no Pacaembu, mas depois a torcida festejou o triunfo por 2x0 no Barradão e a chegada à semifinal contra o Flamengo, time que eliminou o Leão.

No ano seguinte, 2005, o Vitória voltou a mostrar poder de reação na primeira fase do torneio. Após perder do Confiança por 1x0 no estádio Batistão, em Aracaju, venceu por 3x0 no Barradão e avançou à segunda fase. Não passou do Baraúnas, do Rio Grande do Norte.

Cinco anos depois, o Leão voltaria a chamar atenção na Copa do Brasil e não apenas por dar a volta por cima em situação adversa. Em 2010, o Vitória fez a sua melhor apresentação na competição e conquistou o vice-campeonato. Perdeu o título para o Santos, que na época era comandado por Neymar.

Para chegar à decisão, o Leão precisou reverter a desvantagem duas vezes. Perdeu na estreia para o Corinthians Alagoano por 3x1, no estádio Nelson Peixoto Feijó, em Maceió, mas goleou o adversário no jogo de volta, no Barradão: 4x0. Repetiu em casa a goleada e o placar na semifinal contra o Atlético Goianiense após perder por 1x0 no Serra Dourada, em Goiânia.

Neilton alerta
Artilheiro do time na atual temporada com oito gols, Neilton sabe que o caminho do gol é o único possível para reverter a desvantagem diante do Bragantino e incluir o ano de 2018 na estatística.

Após a derrota de 1x0 em Bragança Paulista, o rubro-negro precisa vencer por dois gols de diferença para avançar à quarta fase. Como o gol fora de casa não é mais critério de desempate, qualquer triunfo por um gol leva a decisão para os pênaltis.

O camisa 10 está confiante, mas alerta: “A gente tem que entrar ligado para fazer um início de jogo bom, porque a equipe deles é difícil de jogar, é bem organizada dentro de campo e eles vão vir para marcar duro e fazer um bom jogo. Temos que entrar concentrados desde o início”.

Se passar pelo Bragantino, o adversário do Vitória na quarta fase da Copa do Brasil será definido através de sorteio.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas