Yes, nós temos turistas

nelson cadena
22.02.2019, 05:01:00

Yes, nós temos turistas

Os yankees invadiram a cidade no Carnaval de Salvador de 1943, era fácil reconhecê-los com seus cabelos loiros, olhos azuis da maioria, atléticos; portavam garrafas de whisky na mão e assoviavam para as mulheres que, maravilhadas com os estrangeiros, abriam um sorriso de boca a boca. Não eram turistas convencionais e sim fu zileiros navais que se encontravam na cidade, desde o ano anterior. Um grupo numeroso que praticava exercícios no Solar do Unhão e na base militar de Ipitanga, hoje Aeroporto Luís Eduardo Magalhães.

Os gringos invadiram as ruas e os clubes e alguns desfilaram em corsos. A Tarde noticiou: “Marinheiros do Tio Sam participam do Carnaval baiano” e destacou “Guizos no lugar de bombas”. A reportagem descreveu “os marines, no meio das gurias, para lá de exaltadas” e contou que, já animados pelo álcool, entravam nos cordões “fazendo extravagâncias e passos de suingue, ora com a cadência dos novos frevos e sambas”. Se fartaram de bebidas e lança-perfumes e, na terça feira, o jornal replicou o assunto em manchete, acompanhada de fotos: “Centenas de marinheiros aderiram ao nosso Carnaval”.

Turistas estrangeiros, de fato, o nosso Carnaval só veio ter na década de 1950, uruguaios e argentinos, pequenos grupos que já frequentavam o Carnaval do Rio de Janeiro. Nas primeiras décadas do século XX era inviável o turismo de fora do continente. Até a década de 30 o único meio de transporte para Salvador era marítimo e quando tivemos linhas regulares de aviões, internas apenas, era desconfortável. Os hidroaviões pousavam no mar de Itapagipe e ficavam flutuando aguardando as canoas se aproximarem para recolherem passageiros e bagagens. Fora essas dificuldades, dentre outras, o nosso Carnaval não oferecia grandes atrativos.

O turismo nacional esse sim manteve uma dinâmica própria. Principalmente em função do tráfego intenso de pessoas entre o Rio de Janeiro e a Bahia. Mas foi na década de 50 que ganhou força com a construção do Hotel da Bahia e a ampla divulgação feita nos mercados do sul pelos órgãos de turismo. O Baile do Galo Vermelho - abertura do nosso Carnaval -,  um projeto do baiano João Dória, atraía centenas de turistas endinheirados do Rio e São Paulo, que chegavam em voos fretados com esse objetivo. Mais tarde, década de 1960, quando Vasconcelos Maia comandava a Secretaria de Turismo e a divulgação do destino Bahia no Verão era de extrema competência, os turistas estrangeiros já eram presença visível nos bailes de salão e alguns deles nas ruas.

Os argentinos dessa vez vieram em maior número e a prefeitura, empolgada com los hermanos, exagerou na receptividade e botou representantes no júri oficial para avaliar escolas de samba, cordões e pequenos clubes. Sem entenderem patativas de nossa música, coreografias e estética das agremiações, podemos imaginar a qualidade e confiabilidade das notas desses turistas nas planilhas. Porém, é na década de 70 que o turismo de Verão, com o Carnaval como maior atrativo, se consolida. Já tínhamos uma infraestrutura hoteleira razoável, uma boa promoção da Bahiatursa, nos mercados emissores, publicidade e ampla divulgação de nosso Carnaval nas revistas nacionais.

O trio elétrico fazia sucesso, deixando de ser instrumental para ter grandes cantores, atrações como Moraes Moreira e os Novos Baianos, Caetano Veloso e o Trio de Dodô, Osmar e Armandinho. E logo mais teríamos os blocos de trio e com eles empresas organizadas, com foco no marketing e uma estrutura de captação eficiente, atraindo milhares de turistas nacionais e até internacionais para as agremiações com artistas em alta na mídia. Os yankees nunca mais foram destaque na avenida. Ainda bem. A guerra era uma lembrança infeliz.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/e-preciso-buscar-novos-lugares-de-fazer-piada-defende-leandro-hassum/
Porém, nova comédia estrelada pelo ator reproduz velhos preconceitos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/pitty-mistura-salsa-e-rock-em-novo-single-ouca-noite-inteira/
Canção conta ainda com participação especial de Lazzo Matumbi
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/humor-joiado-cearense-para-fazer-o-cinema-brasileiro-gargalhar/
Cine Holliúdy 2 - A Chibata Sideral mistura cearensês, alienígenas e Lampião, e fecha trilogia de sucesso popular
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/nostalgia-pura-netflix-divulga-trailer-da-terceira-temporada-de-stranger-things/
Com cenas inéditas, série mostra protagonistas mais velhos e novos personagens. A produção estreia no dia quatro de julho
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/la-furia-causa-nova-polemica-com-musica-e-comentario-machista-sobre-bettina/
Letra cita jovem que viralizou ao 'contar’ como ficou milionária aos 22 anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/veja-playlist-de-verao-do-projeto-mete-som/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/testemunhas-das-mortes-misteriosas-de-maragojipe-serao-ouvidas-nesta-quarta-20/
Vítimas foram assassinadas em três segundas-feiras seguidas, há sete meses
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/procon-quer-que-empiricus-explique-propaganda-e-fortuna-de-bettina/
Empresa tem 48 horas para apresentar documentos que compravam a veracidade do que foi anunciado, com a demonstração da evolução financeira da atriz/depoente
Ler Mais