Kleber Rosa volta a reivindicar a posição de candidato da esquerda em Salvador

O socialista disse que a sua vice, Dona Mira (PSOL), sempre atuou também no campo da esquerda

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 10 de julho de 2024 às 16:00

Kleber Rosa em entrevista à rádio Bahia FM
Kleber Rosa em entrevista à rádio Bahia FM Crédito: Divulgação

Pré-candidato do PSOL a prefeito de Salvador, Kleber Rosa disse, nesta quarta-feira (10), que seu adversário político Geraldo Júnior (MDB), que também irá concorrer no pleito, não representa a luta da esquerda. Os dois disputam os votos da esquerda na capital baiana.

“Nossa chapa representa um legado da luta popular, da luta de esquerda, coisa que não está expresso obviamente pela candidatura do governo, que é o candidato do MDB. Para a gente, é muito tranquilo e satisfatório está representando essa demanda popular, que dialoga com as necessidades mais urgentes”, declarou Kleber Rosa, em entrevista à rádio Bahia FM.

O socialista disse que a sua vice, Dona Mira (PSOL), sempre atuou também no campo da esquerda. “É uma pessoa que dedicou a vida inteira à luta pelo direito à moradia”, frisou. Ainda na entrevista, Kleber Rosa defendeu a gratuidade no transporte público da capital baiana. “A mobilidade é um direito basilar da cidadania, dos Direitos Humanos. Do mesmo jeito que precisamos garantir o acesso à saúde e à educação gratuita, precisamos também assegurar o transporte público gratuito para que as pessoas possam se deslocar na cidade”, afirmou.

O prefeiturável ainda ressaltou que a pesquisa do instituto Real Time Big Data, que apontou ele com 8% das intenções de votos, demonstrou que “tem potencial de crescer ainda mais e de irmos para o segundo turno”.

De acordo com o levantamento, o atual prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), lidera com 65% dos votos válidos e venceria no primeiro turno, se a eleição fosse hoje. Em seguida, aparece Geraldo Júnior com 26%. Outros somaram 1%. Os votos válidos não contabilizam os nulos, brancos e os que não sabem responder. A pesquisa tem margem de erro 3 pp. para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, e a sondagem de opinião está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o nº BA-00753/2024.