CHUVAS DE ABRIL

Com 397,20 mm acumulado, volume de chuva em Lauro de Freitas ultrapassa média histórica

Defesa Civil continua em alerta para prevenir possíveis desastres

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 24 de abril de 2024 às 14:46

Defesa Civil de Lauro de Freitas Crédito: Andressa Oliveira

Com o acumulado de 397,20 mm com as chuvas dos últimos dias, o índice pluviométrico em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), ultrapassou a média histórica de 247,36 mm esperados para o mês de abril no município. O período chuvoso liga o alerta para evitar que desastres aconteçam. Na manhã desta quarta-feira (24), técnicos da Defesa Civil estiveram no bairro de Itinga para verificar possível risco de deslizamento, orientar os proprietários e colocar lona plástica.

Nos últimos dias, fiscais do órgão também visitaram a Barragem Joanes 01, em Jambeiro, para verificar a quantidade de água recebida na represa. Os equipamentos da rede de monitoramento de desastres naturais do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), instalados no município, registraram um acumulado de 397,20 mm.

Tiago Max, superintendente da Defesa Civil Municipal explicou quais ações estão sendo realizadas pela pasta para verificar possíveis riscos de deslizamento e prevenir possíveis desastres. “Nessas situações, são prestadas orientações aos proprietários e realizada a colocação de lonas plásticas para auxiliar na impermeabilização do solo, reduzindo assim o risco de deslizamentos e desmoronamentos”. Além dessas ações, o órgão realiza visitas para monitorar os níveis dos rios Ipitanga e Joanes.

Outras secretarias também atuam nesse processo de prevenção para evitar danos maiores. "Realizamos ações preventivas importantíssimas antes e durante o período chuvoso, como limpeza de bueiros e sistema de drenagem por meio da Seinfra [ Secretaria de Infraestrutura] de modo a melhorar o escoamento das águas e limpeza dos rios córregos e canais através da Sesp [Secretaria de Serviços e Segurança Pública] para retirada de barreiras que possam obstruir a passagem das águas e colaborar para alagamento de vias e inundação de imóveis", explicou o superintendente.

Macrodrenagem de rios

O maior investimento em obras de prevenção às chuvas, em Lauro de Freitas, é a Macrodrenagem dos Rios Ipitanga e Joanes e afluentes, que atinge cerca de 160 mil pessoas direta e indiretamente.

Foram construídas seis bacias/reservatórios, com capacidade de quase 1,5 milhão de metros cúbicos de água para controlar a vazão dos rios e nove canais em pontos estratégicos da cidade, evitando o alagamento nas ruas e casas. Os resultados podem ser verificados em diversos locais do município, como na Avenida Beira Rio, que não tem mais ocorrências de alagamento.

Além de comportar parte do volume de água do rio, em dias de chuva, os reservatórios são utilizados pela população em dias de sol. Dos 166 mil metros quadrados do total da obra, cerca de 66 mil metros quadrados foram transformados em área de lazer com parquinho, quadras poliesportivas, campos de futebol e ciclovia. No período de chuva, esses espaços são esvaziados e trancadas as grades para evitar trânsito de pessoas e só receber as águas de chuva que são drenadas para os rios, já aprofundados e alargados.

Quando ocorrem fortes chuvas, alguns locais onde existem obras irregulares, lixos jogados fora dos contêineres ou após a passagem do caminhão de coleta, entupindo os bueiros, ou mesmo residências construídas sem alvarás em locais não permitidos, podem apresentar alagamentos pontuais, mas que a gestão busca resolver imediatamente. O escoamento acontece muito mais rápido do que antes da obra de macrodrenagem ter sido executada.