ESPANCAMENTO

Polícia Civil indicia envolvidos em morte no Corredor da Vitória

A 1ª Delegacia de Homicídios concluiu o inquérito que investigou o homicídio de Willys Santos da Conceição

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 5 de abril de 2024 às 06:14

Willys Santos morreu após agressão no Corredor da Vitória
Willys Santos morreu após agressão no Corredor da Vitória Crédito: Reprodução

Presos na Penitenciária Lemos Brito, os quatro acusados do homicídio de Willys Santos da Conceição foram indiciados pelo crime de lesão corporal seguida de morte, ocorrido no dia 23 de março, no Corredor da Vitória, em Salvador. O inquérito policial instaurado pela 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico) foi encaminhado ao Poder Judiciário, na terça-feira (2).

Os quatro acusados - o flautista Lincoln Sena Pinheiro e o violista Laércio Souza dos Santos, ambos da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), o designer Marcelo da Cunha Rodrigues Machado, namorado de Lincoln, e o motorista de aplicativo Sérgio Ricardo Souza Menezes, morador do Corredor da Vitória - foram presos por policiais militares e autuados em flagrante no plantão do DHPP, no dia 23 de março.

Câmeras de vigilância, depoimentos de testemunhas, de familiares e demais elementos coletados durante as ações investigativas colaboraram para a conclusão do procedimento.

O inquérito policial foi presidido pela titular da 1ª DH / Atlântico, delegada Zaira Pimentel. Ela avaliou o procedimento como consistente, devido a todos os elementos coletados ao longo das apurações. “A partir do empenho de toda equipe desta DH e da colaboração do DHPP, as investigações tiveram um robusto embasamento, o que também nos proporcionou mais agilidade na conclusão”, comentou.

Músicos participaram de audiência de custódia  Crédito: Arisson Marinho/CORREIO

O inquérito está sob apreciação do Poder Judiciário e posteriormente seguirá para também ser apreciado pelo Ministério Público da Bahia. Os acusados seguem presos, à disposição da Justiça.

Procurada, a defesa dos acusados informou que "não deseja participar de qualquer reportagem até posicionamento do Ministério Público".