Terceiro suspeito de matar idoso na Americanas é preso após se apresentar à polícia

Na última sexta-feira (7), outros dois suspeitos foram mortos pela Polícia Civil

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 12 de junho de 2024 às 17:40

Loja Americanas onde aconteceu o crime
Loja Americanas onde aconteceu o crime Crédito: Gilberto Barbosa/CORREIO

Um homem suspeito de envolvimento na morte de um idoso em uma unidade da loja Americanas, no Caminho de Areia, foi preso nesta quarta-feira (12) ao se apresentar na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR). O crime contra a vida de José Salvador Calixto Almeida aconteceu em março deste ano. Na última sexta-feira (7), outros dois suspeitos foram mortos pela Polícia Civil.

De acordo com a Polícia Civil, havia um mandado de prisão para o suspeito, que foi cumprido após apresentação na DRFR acompanhado de um advogado. O homem está à disposição da Justiça. 

 Outros dois suspeitos foram localizados na Fazenda Grande do Retiro, na sexta-feira, confrontando com a Polícia Civil. A dupla foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos.

Relembre o caso

Segundo a Polícia Civil, três homens assaltavam o estabelecimento comercial na Avenida Caminho de Areia, na manhã do dia 22 de março, quando a vítima entrou em luta corporal com um dos assaltantes. O homem - identificado como José Salvador Calixto Almeida - foi atingido com um tiro na cabeça. A Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) investiga o latrocínio.

Já testemunhas do crime contaram que o idoso estava saindo da loja quando foi abordado, mas ele tinha deficiência auditiva e não ouviu os assaltantes.

Segundo comerciantes da região, a unidade sofre constantemente com assaltos e, em média, é assaltada uma vez por mês. O idoso foi comprar chocolate e já estava na saída com as caixas na mão. Ele chegou a ser socorrido por um vizinho até uma unidade de saúde da região, mas não resistiu aos ferimentos.

As testemunhas contam que os criminosos invadiram a loja e levaram todos clientes e funcionários para o fundo da unidade. O homicídio aconteceu quando o grupo estava saindo do local. Ao todo, eram seis assaltantes em três motos, alguns ficaram do lado de fora da loja e os outros, dentro. Depois eles teriam fugido em direção ao Largo de Roma.

A loja não tinha equipe de segurança e chegou a fechar temporariamente. Em nota, a Americanas se pronunciou lamentando o caso. "A companhia informa que está contribuindo com as autoridades para a elucidação do caso e prisão dos criminosos [... e] reforça que vem investindo em segurança com tecnologias de monitoramento e prevenção, e também acredita no trabalho das autoridades para reduzir a violência na região", declarou.